Cotidiano

Lages: PRF, Arteris e ciclistas pela prevenção

Era 13 de fevereiro deste ano e o médico oncologista Jonatas da Fonseca, 36 anos, pedalava pelo acostamento perto do Santuário Nossa Senhora Aparecida na ERS-153 em Passo Fundo/RS. Ele foi atingido pelas costas por um veículo que fugiu do local. Casado e pai de um menino de 3 meses, a morte de Jonatas causou consternação coletiva. Não apenas por causa desse lamentável  episódio, mas também por causa disso, Lages deverá reforçar práticas de segurança em relação à presença de ciclistas em rodovias.

ARTERIS, PRF E CICLISTAS

Porque há uma crescente de adeptos pedalando por acostamentos de rodovias na Serra Catarinense, numa cruzada do médico Volnei Correa da Silva e outros profissionais que utilizam as estradas para o ciclismo, PRF e Arteris realizam diálogo nesta segunda-feira, 23, sobre o assunto.

Com a participação de ciclistas e aberto à comunidade, a conversa será às 19h no auditório da PRF. “A Arteris e a PRF abraçaram a ideia de uma ação de orientação e prevenção a acidentes. E depois da BR-116, bastante utilizada pelos ciclistas, vamos tentar estender isso às outras rodovias, inclusive estaduais”, confirma Doutor Volnei.

Dr. Volnei com a esposa e a paixão pelo ciclismo. Mas ideia é a prática em condições de segurança nas rodovias da Serra

A iniciativa é importante no sentido de prevenir eventuais acidentes, não se esperando alguma ocorrência mais grave para depois pensar nisso. Ademais, vale destacar a importância e necessidade da conscientização do motorista para respeitar o ciclista, nos deslocamentos em acostamentos e até na pista de rolamento em alguns casos.

PARTICIPE

A reunião aberta à comunidade ciclista com PRF e Arteris acontece hoje, segunda-feira, 23, às 19 horas. O local é o auditório da PRF ali logo acima do BIG no bairro Conta Dinheiro. Pedale até lá e participe.

Prevenindo você pedala e vai mais longe!

Compartilhe

1 comentário para: “Lages: PRF, Arteris e ciclistas pela prevenção”

  1. O ciclismo é o esporte comum mais perigoso que existe. É mais seguro fazer wing suit, mergulhar, andar de formula 1 no carro do Airton no limite. É natural que acidentes fatais ocorram mesmo que não houvessem carros nas rodovias. Já andei muito de bicicleta por diversão e por necessidade, hoje ando limitadamente e com muito medo. Qualquer pessoa que se julga sensata jamais andaria de bicicleta. Duvida, é só fazer o levantamento de número de praticantes por número de acidentes fatais ou graves sequelantes e verificará dados estarrecedores. Esporte é vida? Tenho sinceras dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *