Cotidiano

Moção sobre policial que atua em Lages

Embora numa manifestação equivocada o Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz (o quirido) tenha procurado amenizar o episódio envolvendo brasileiros na Rússia – citando que a referência preconceituosa a uma moça ‘não matou ninguém’ – o assunto segue rendendo. Em Lages, onde trabalha na Polícia Militar o tenente Eduardo Nunes, um dos protagonistas do vídeo, a Câmara de Vereadores não deixou barato.

MOÇÃO DE REPÚDIO

Uma moção legislativa repudia a ação, em especial, a do policial militar catarinense que atua em Lages, Eduardo Nunes, que protagonizaram cenas de insulto a uma mulher russa. Os vereadores também desaprovam esta atitude manifestando repúdio ao comportamento machista, sexista e misógino do tenente Eduardo Nunes. Assinaram o documento os parlamentares Jean Pierre Ezequiel e Aida Hoffer (ambos do PSD), Amarildo Farias (PT), Ivanildo Pereira (PR), João Chagas (PSC) e Osni Freitas (PDT).

Vereador Jean Pierre foi um dos que assinou a moção reprovando a postural do Policial Militar que é de Palhoça, mas atua no 6.º BPM de Lages

O QUE ACONTECE COM O TENENTE?

Embora o caso que ganhou repercussão em todo o Brasil tenha esfriado, persiste a dúvida e curiosidade sobre o que acontece  com o Tenente Eduardo por causa da postura adotada em solo estrangeiro, cujo comportamento contraria a imagem de disciplina e ordem que prevalece na PM. Em tese não acontece nada do posto de vista jurídico. O comportamento desencadeia procedimentos para efeitos disciplinares perante a corporação, além de retardar um pouco promoções na carreira do militar. E logicamente que volta e meia vão lembrar do Tenente como ‘aquele da Rússia’.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *