Cotidiano

Monumento hoje e em outro momento

“O prefeito Elizeu Matos não se omite de uma situação polêmica como essa. Ele solicitou às secretarias de Meio Ambiente e também de Planejamento que estudem as alternativas. E pesquisas como essa sempre são bem vindas e o prefeito vai ficar com a maioria da população, como sempre tem feito”.

Declaração acima foi lá nos idos de 2014 – antes da instabilidade jurídica que se abateu sobre a gestão anterior de Lages – quando foi para a pauta a transferência do monumento de Getúlio Vargas da Praça da Catedral para outra paragem lageana.

Naqueles tempos com o atual vereador Lucas Neves de âncora do Jornal do Almoço da então RBSTV, a consulta no chamado tele opinião, apresentou os dados acima, com a ampla maioria da população concordando com a mudança do monumento.

CINCO ANOS DEPOIS…

Quando surgiu a oportunidade de efetivar a mudança do monumento, o mesmo Lucas Neves, agora como vereador, lançou a indagação em sua página de Instagran. A resposta dos participantes foi absolutamente ao contrário daquilo que se visualizou em 2014.

Os percentuais foram até parecido, mas com respostas invertidas, com a maioria dos entrevistados se posicionando contra à providência executada pela prefeitura.

MISTÉRIO

O que levaria a população ser amplamente favorável à demolição em 2014 e amplamente contra em 2019? O monumento é o mesmo. Histórico de Getúlio Vargas não apresentou nenhum fato novo nessa meia década. Trocou apenas o prefeito de Lages!

Compartilhe

2 comentários para: “Monumento hoje e em outro momento”

  1. Foi a pesquisa de 2014, sem uma discussão mais madura com a população, que demonstrou um número muito grande de lageanos que tinham suas razões para não mudar de lugar o monumento. A pesquisa consistia em mudar de lugar, nunca demolir!
    Foi por isto que não foi incluída a praça João Ribeiro no projeto de revitalização do centro, com participação do governo estadual que disponibilizou a IDP – empresa catalâ, com tecnologia BIM para fazer os projetos complementares parametrizados.
    Hoje com duas faculdades de Arquitetura e Urbanismo em Lages, já formando suas primeiras turmas de profissionais, a cidade teve um up-grade em conhecimento e informação para se posicionar com mais maturidade sobre o assunto. Alguns cresceram enquanto outros andaram para traz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *