Cotidiano

Óbitos colocam a Serra em risco gravíssimo

SÃO 34 MORTES EM LAGES E OUTRAS 17 NA AMURES

Secretário Claiton Camargo de Souza que comanda a área da Saúde de Lages observou em rede social que nem quando a ocupação de UTI chegou a 100% houve alteração da classificação de risco na Serra Catarinense para gravíssimo. Porém, a situação muda agora devido ao elevado número de óbitos cujos pacientes foram diagnosticados com Covid-19. Esse novo status atribuído pelo Governo do Estado à Serra Catarinense admite possibilidade de algumas medidas mais restritivas.

Aquela cor indesejada no mapa devido a alteração do risco potencial de transmissão e letalidade da Covid-19

OS DADOS QUE LEVARAM AO RISCO GRAVÍSSIMO

Apesar de termos 1.301 pacientes recuperados da Covid-19 em Lages, há outros 587 em isolamento domiciliar e mais 69 pessoas internadas, sendo 43 delas aqui da cidade e outras da região. Devemos atravessar a barreira dos 2 mil casos entre hoje e amanhã, visto que o boletim da quarta-feira indicou 1.951 diagnósticos positivos. E o dado ainda mais preocupante é sobre o registro de outros dois óbitos em Lages, chegando a 34 pessoas que perderam a vida por causa da Covid-19. Há ainda outras 17 vítimas fatais nos municípios da Amures, chegando aos 51 óbitos.

SEIS SEMANAS: 34 ÓBITOS

Lages demorou a registrar óbitos. Por coincidência, à medida que houve reforço no atendimento de UTI, com a chegada daqueles respiradores enviados pelo Estado, passamos a contabilizar lamentáveis mortes. A primeira foi no dia 6 de julho e, de lá para cá, menos de seis semanas, já temos 34 famílias de luto pela perda de um familiar.

O gráfico do aumento de casos na Serra Catarinense que dispararam a partir 125.º dia da gestão da pandemia

O QUE ACONTECE COM ESSA

NOVA CLASSIFICAÇÃO PARA A SERRA?

A resposta a essa indagação não é absoluta. Dependerá muito de vários fatores, mas nas questões mais agravadas há hipótese até de lockdown. E haverá uma série de providências que podem ser adotadas, antes de tal medida extrema.

As prioridades apontadas pelo protocolo da Secretaria de Estado é o reforço nas medidas de isolamento social e isolamento de casos, para evitar ou reduzir a transmissão comunitária. Testagem e ampliação de leitos também integram as providências sugeridas com essa classificação.

Assessoria da Amures compartilha o gráfico acima que dá ideia do número de casos nos 18 municípios e do aumento registrado no período de 22 dias. Esses dados são de ontem, dia 12. Nesta quinta-feira, 13, já há atualizações. Correia Pinto chegou a 203 casos e Lages a 1.951.

Urupema, retratada nessa foto da MSM Imagens Aéreas, é a única cidade catarinense que não possui nenhum caso de Covid-19

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *