Cotidiano

Simproel: Paralisação insiste em 12,84%

NA VÉSPERA DO PROTESTO

CERON DEU O TOM DO NÃO

“Temos profundo respeito e admiração por todos os professores e sabemos que eles merecem muito mais, mas dentro da legalidade e da responsabilidade financeira, não podemos oferecer mais que 6%, até porque os 12,84% solicitados pelo Simproel não são legais e, mais que isso, são totalmente impraticáveis neste momento. Assim, oferecemos o mesmo reajuste a todos os servidores municipais, pois todos eles, do varredor de rua ao professor com doutorado, do motorista de ambulância ao médico especialista, têm o mesmo valor e a mesma importância para a sociedade lageana, e por isso recebem tratamento igualitário da minha parte”.

14 vereadores foram ao prefeito ouvir a possibilidade de dar os 12,84%. Saíram de lá convencidos que não haveria esse índice. Ceron enviou projeto de lei à Câmara dando 4,48%. Mas admitiu estender esse percentual a 6%. Com o protesto, está mantido os 4,48%.

SENDO ASSIM…

O protesto desta quinta-feira, 12, com atos no Calçadão durante a manhã foi mantido, mesmo os dirigentes do Simproel sabendo que não teriam os 12,84% de reposição. Nas contas do Paço, esse reajuste significaria R$ 1.100.000,00 a mais na folha.

Jornalista Vantuir Rech que está fazendo a cobertura em tempo real para a Rádio Clube FM 98,3 fez esse registro apontando a adesão significativa dos profissionais da Educação ao dia de paralisação

‘NÃO’ AOS SEIS POR CENTO

Durante esse ato da manhã no Calçadão, dirigentes do Simproel fizeram uma conversa em forma de assembleia, indagando aos integrantes da categoria se aceitariam os 6% oferecidos e davam fim ao ato. A resposta foi negativa ao percentual. E insistindo nos 12,84%.

‘AULAS NORMAIS’

Prefeitura manteve a decisão de abrir as escolas e creches para os 15.600 estudantes. Aposta foi de que os 956 professores temporários iriam trabalhar. A Secretaria da Educação expediu a seguinte nota na metade da manhã:

“A Secretaria Municipal de Educação informa que nesta quinta-feira (12 de março) todas as unidades escolares da rede municipal de ensino abriram suas portas normalmente para o atendimento aos seus alunos. Apesar do movimento de paralisação do Simproel, os demais servidores compareceram em seus locais de trabalho.

Houve registro de atividade escolar em algumas unidades como: CEIM Miriam Regina de Oliveira Koeche, no bairro Ipiranga, CEIM Vila da Criança, no bairro Universitário, EMEB Fausta Rath, no Vila Mariza, nas Escolas do Campo, EMEB e CEIM do Salto Caveiras, entre outros.

A Secretaria Municipal da Educação reitera que aguarda durante o dia as novas decisões da categoria e reafirma o compromisso da Administração Municipal de continuar agindo com a mais absoluta responsabilidade perante esta situação”.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *