Economia

BR-116: Como está a duplicação em Lages?

NA PAUTA DA ACIL: ACESSO À BERNECK E À COXILHA

Projeto de duplicação da BR-116 no trecho que corta a área urbana de lages esteve em pauta na reunião virtual da diretoria da Acil desta semana. Coordenador de Implantação e Conserva da Arteris Planalto Sul, Tiago Bortoli, atualizou os empresários sobre o andamento do projeto. Ele disse que a pandemia causou atraso no cronograma de entrega do projeto.

Bertoli fez esclarecimentos sobre as ações da Arteris aqui na Serra Catarinense no trecho da BR-116

NOVO CRONOGRAMA

“Até o final de julho será entregue o projeto do trecho de Lages, já contemplando a extensão de 7 km. Na sequência iremos protocolar na ANTT, já com os orçamentos. Aí segue um cronograma até o final do ano, para os demais segmentos”. Bortoli explicou que é uma obra extra contratual então requer o equilíbrio financeiro do contrato e, por isso, depende da validação da ANTT.

TREVO DA BERNECK

Sobre o trevo de acesso a Berneck, Bortoli explicou que existe um projeto, realizado pelo proprietário do posto de combustível que fica ao lado da empresa, que deverá atender além do posto, a JBS e a Berneck. Por ser um projeto particular, será necessário uma análise por parte da concessionária que deverá encaminhá-lo, posteriormente à ANTT para análise e aprovação.

Para acessar a futura Berneck (foto) e unidade da JBS há previsão de um trevo nesse projeto de duplicação da BR-116

ACESSO À COXILHA

Quanto ao acesso à Coxilha Rica – naquele local onde começou o asfalto novo -, o coordenador da Arteris informou que é um projeto do Governo de Santa Catarina e já foi para aprovação da ANTT. Após a aprovação, a empresa que presta serviço para o Estado será liberada para executar a obra.

Para pegar esse asfalto aos confins da Coxilha Rica, um trevo será construído na BR-116

TERCEIRAS FAIXAS

Com relação as terceiras faixas, no início de 2020 a concessionária entregou 10 km, que compreendem Correia Pinto, Ponte Alta e parte da serra do Espigão. Estão previstas ainda, obras ao longo da serra do Rio Pelotas, mais alguns trechos da serra do Espigão e um segmento próximo a ela.

Informações: Sheila Rosa – Acil

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *