Economia

Como ficaram os incentivos à AMBEV?

Embora os cuidadores do noticiário econômico da paróquia não tenham mais comentado o assunto, fomos atrás do desdobramento daquele risco da Ambev reduzir produção na filial de Santa Catarina. Isso decorreria do corte de incentivos fiscais pelo Governo do Estado na nova política de incremento da arrecadação. Questão levou o prefeito Ceron e gestores da Ambev à audiências com o Secretário da Fazenda. E representantes da cervejaria também dialogaram com o deputado Marcius Machado.

HABEMUS CERVEJA!

“Houve uma tratativa cuidadosa e atenta porque sabemos da importância da Ambev não apenas para Lages, mas para Santa Catarina e os incentivos foram revistos, fixados e disponibilizados ao setor. Assim, não apenas a Ambev, mas qualquer empresa que atue nesse setor poderá se beneficiar. Tudo às claras, construindo-se uma solução que atende a companhia e é excelente para Lages”. Disse o prefeito Ceron, depois da articulação com o Secretário Paulo Eli (Fazenda) e técnicos do Governo.

Da conversa preocupante na terça-feira, 16 de julho, entre os gestores da Ambev, secretário Paulo Eli e o prefeito Ceron, numa reunião às pressas em Florianópolis à realidade da manutenção de incentivos.

“A equipe do governador Carlos Moisés foi muito atenta na questão. Ajudou muito Lages nesses encaminhamentos”, faz questão de frisar o prefeito Ceron.

AMBEV PARA LAGES E SC

Para se ter ideia da importância da Ambev produzindo a todo vapor em Santa Catarina (na unidade lageana), ela representa 34% do retorno de ICMS para a arrecadação de Lages. E, de acordo com o prefeito Ceron, depois da Petrobras e Celesc, a Ambev é a que garante maior retorno de impostos para contribuir com a arrecadação estadual. “Claro que é importante, necessária, vital para Lages. Mas as atividades da cervejaria também têm o grau de importância à arrecadação estadual”, pontua o prefeito.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *