Economia

Desemprego: Era fake a pesquisa Fiesc?

DADOS OFICIAIS E DE PESQUISA NÃO FECHAM

CAGED é a estrutura vinculada ao Ministério da Economia, responsável pelo acompanhamento do nível de empregabilidade no País. Periodicamente são apresentados dados sobre contratações e demissões nos diversos setores da economia. E nas informações mais recentes dessa estrutura governamental constam os dados preocupantes do desemprego no Brasil causado pela pandemia.

QUAIS OS DADOS?

Segundo as informações do CAGED, o número de demissões somente no mês de maio totalizou 331.901 desligamentos. No somatório do ano, o mesmo órgão de acompanhamento soma 1.114.875 vagas de trabalho fechadas. A pandemia é a vilã dessa situação, inclusive com o indicativo de que somente nos três Estados do Sul foram 78.667 demissões.

PESQUISA EM SC

Considerando esses dados oficiais do Governo, com números incontestes, fica a dúvida bem gigante daquela pesquisa realizada pela Fecomércio, Fiesc e Sebrae que somou 406.000 demissões nos primeiros 30 dias da pandemia somente em Santa Catarina. Número esse que subiu para 530 mil em 60 dias entre março e maio. Somente na Serra Catarinense teriam sido quase 25.000 demissões.

FAKE OU FATO

Caberia a essas entidades se explicarem sobre esses dados destoantes daqueles oficiais, visto que o somatório nos três Estados do Sul é quase sete vezes menor que os números apontados só de Santa Catarina. Teria sido uma pesquisa fake para amedrontar e influenciar em medidas de não isolamento? Os dados catarinenses são reais e as informações oficiais do Governo é que estão erradas? Ou aqueles que fizeram a estimativa em Santa Catarina erram na matemática, exagerando nos dados?

Homem forte da Fiesc, presidente Mário de Aguiar, e os demais dirigentes das estruturas que indicaram mais de meio milhão de desempregados em SC tinham razão ou eram números errados e alarmistas?

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *