Economia

Aposentados da Acil e Fiesc querem reforma

O que o presidente da Fiesc, Glauco Corte, o presidente da Facisc, Jonny Zulauf e o presidente da Acil, o lageano Sadi Montemezzo, têm em comum?

Eles lideram através das entidades que comandam a cruzada em defesa da Reforma da Previdência. O regramento proposto pelo governo prevê, entre outras medidas, a elevação gradativa da idade mínima para se aposentar. Num futuro próximo, mulheres se aposentarão somente com 62 anos e homens com 65. Mas as três lideranças empresariais têm mais em comum: são todas aposentadas.

ISSO MESMO

Tanto Montemezzo, quanto Zulauf e Glauco Corte são aposentados pelo INSS. Um deles, inclusive se aposentou com 48 anos de idade. Assim é fácil defender a reforma, impondo regras que irão afetar os outros, já que todos estão devidamente aposentados, sem depender que esse regramento proposto os atinja. Não comparando é igual aquela frase de Chico Anysio: ‘Só defende o controle de natalidade quem já nasceu’.

Presidente da Fiesc, Glauco Corte, aqui ao lado de Temer, apoiando a reforma previdenciária e aposentado

OBSERVE QUE…

Não existe absolutamente nenhuma irregularidade no fato dos líderes empresariais serem aposentados. Eles obtiveram os respectivos benefícios porque contribuíram para tanto. Apenas soa destoante o fato de defenderem a mudança de regras de aposentadoria após se beneficiarem delas.

 

SOBRE O ASSUNTO

Nesta segunda-feira, 05, o COFEM – Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina, emitiu manifesto em apoio à reforma:

“O Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) manifesta seu apoio à Reforma da Previdência. Com o envelhecimento da população, a tendência é que o atual déficit da Previdência aumente, comprometendo as aposentadorias. A adequação das regras previdenciárias à atual expectativa de vida brasileira é, assim, medida essencial para o necessário ajuste fiscal das contas públicas. Além disso, é chegada a hora de tratar com mais igualdade e transparência as aposentadorias públicas e privadas. O COFEM conclama os parlamentares catarinenses a aprovar a Reforma da Previdência, como medida imprescindível à sustentabilidade do sistema previdenciário, garantindo o direito à aposentadoria a esta e às futuras gerações, e criando um ambiente mais favorável aos investimentos e à geração de empregos”.

Presidente da Fiesc, o aposentado Glauco Corte, na reunião da segunda-feira, 05, quando foi emitido manifesto de apoio à reforma (Imagem: Filipe Scotti/Fiesc)

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *