Economia

Klabin: Plantadores de eucaliptos na mão?

Ainda no começo do mês reflorestadores que investiram uns pilas na plantação de eucaliptos estiveram com gestores da unidade de Otacílio Costa na busca de uma notícia positiva. Mas essa não veio. Trata-se de uma iniciativa de alguns anos atrás que incentivava a plantação de eucaliptos tendo a própria Klabin como interessada na compra. Por causa disso, muita gente deixou de investir em pastagem ou apostar no pinus para se aventurar no eucalipto. Agora amargam a incerteza sobre a colocação no mercado das florestas que já estão em época de corte.

PEQUENOS E ENGESSADOS

Teria ocorrido até aviso em emissoras de rádio, incentivando o plantio de eucaliptos. Agricultores que possuem áreas menores – como o eucalipto cresce mais rápido que o pinus – trataram de apostar. Atualmente, o que existe são áreas reflorestadas com uma madeira que serve apenas para lenha. “A empresa nos diz que com a crise, o papel originado da madeira de eucalipto não está sendo produzido. Se a economia melhorar, retorna a compra”. Foi o que ouvimos de um reflorestador que pode inclusive perder toda a área reflorestada já que a plantação está no terreno de um terceiro.

Registro ilustrativo da Embrapa sobre a plantação de eucaliptos cujo mercado deve melhorar, mas atualmente não compensa nem chegar perto das árvores por causa do elevado custo de manejo e desinteresse do mercado produtivo. Por enquanto…

EM TEMPO

Naturalmente a Klabin não estabeleceu contrato com nenhum reflorestador, não estando no papel a obrigação de compra. O que houve foi uma campanha animadora sobre a árvore que cresce rápido, pesa bastante e dá retorno. Quando tem mercado dá retorno mesmo. O que não é o caso atualmente.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *