Economia

Lages não vai restringir, embora possa

Fecam – a entidade que representa todos os municípios catarinenses – emitiu nota técnica orientando prefeitos sobre o fato de que não podem flexibilizar aquilo que o governador Carlos Moisés manteve restrito através de decreto. Mas podem, se quiserem, restringir aquilo que está sendo flexibilizado através de portaria local.

Trecho da nota da Fecam aos prefeitos observado medidas a serem reforçadas e cautelas para, ato tomar medidas, embasarem-se em orientação jurídica. E ainda observa o fato de que as próximas semanas exigirão muito dos gestores.

CERON SE MANIFESTA 

Após as medidas anunciadas pelo governador Carlos Moisés, prefeito Ceron participou de uma entrevista ao vivo na rede social. O prefeito de Lages observou que o município seguirá aquelas decisões e orientações de âmbito estadual, evitando inovar com alguma restrição a mais por causa de situações adversas locais.

Com o Executivo de Comunicação, o prefeito Ceron dialogou durante quase uma hora, repassando informações e ponderações a respeito da atuação do poder público em âmbito local. Deixou claro que o município seguirá as diretrizes estaduais e lembrou que essas flexibilizações deliberadas pelo Estado podem ser revistas se houver alteração do cenário em termos de contaminação

COMÉRCIO E HOTÉIS:

FLORIPA MANTÉM RESTRIÇÃO

Exemplo da possibilidade que os municípios têm de agregar mais medidas restritivas àquelas determinadas pelo Estado está em Florianópolis. Apesar do Governo do Estado autorizar a reabertura do comércio e o funcionamento de hotéis (com recebimento de novos hóspedes), prefeito Gean Loureiro manteve a proibição para que tais segmentos operem a partir de segunda-feira, 13. Significa que os municípios não podem liberar quando o Estado manda fechar, mas podem manter restrições, mesmo quando a autoridade estadual flexibiliza.

GOVERNADOR CARLOS MOISÉS

SOBRE O FUNCIONAMENTO DO

COMÉRCIO A PARTIR DO DIA 13

“As forças policiais estarão autorizadas a atuar na área de fiscalização de vigilância sanitária. Haverá possibilidade de multa e fechamento do estabelecimento em caso de descumprimento. Os municípios que observarem índices de contaminação mais elevados poderão impor regras mais restritivas e nós vamos apoiar”.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *