Economia

Lages: Voo por instrumento talvez em junho

Nesta semana, o nublado dos céus da paróquia impediu que o avião da Azul cumprisse sua rota, aterrissando em Lages. Lá se foram os passageiros de ônibus para a Capital. Ao longo da quinta-feira, 10, algumas mensagens indagavam se a reunião de Curitiba resolveu a pendência e não haveria risco do avião não pousar nesta sexta-feira, 11. Tem gente com agenda para o final de semana e não há segurança que a aeronave aterrisse.

PROBLEMA PERSISTE

Em reunião na sede do Cindacta em Curitiba, não houve decisão para por fim a essa instabilidade e insegurança se o avião desce ou não em Lages. Os voos por instrumento ainda não têm prazo para serem homologados e se iniciar a operacionalização. Há pendências no aeroporto que não foram atendidas ou corrigidas. Para termos ideia, depois de superadas as chamadas não conformidades, o Cindacta tem 45 dias de prazo para fazer a inspeção e liberar os voos por instrumento.

ENTÃO…

Significa dizer que em maio não teremos solução e, com muito otimismo, a situação se resolve em meados de junho. Neste período de instabilidade predominante na Serra Catarinense, essa pendência representa risco de redução de busca pelo voo, já que não há segurança de que o mesmo decole ou pouse em Lages.

Os técnicos do Cindacta II com Fernando Siqueira da empresa Infracea, administradora do aeroporto repassando as providências tomadas, mas que não foram suficientes para autorizar a inspeção final de liberação dos pousos por instrumento. Anderson de Souza (direita) pela Acil e Juliano Chiodelli (ao lado dele) acompanharam a reunião em Curitiba.

INCLUSIVE

Porque talvez coubesse à Prefeitura de Lages algumas providências ou pelo menos a pressão em cima da empresa administradora para tomar as medidas que atendam exigências do Cindacta II, a presença de alguém do poder público teria sido providencial na reunião de Curitiba. Não apareceu ninguém, embora a reunião tenha sido programada num encontro no gabinete do prefeito Ceron. Provavelmente não é isso. Mas a impressão que passa é que a prefeitura passou a bola para a empresa Infracea e está deixando correr.

Nessa agenda da segunda-feira foi programada a reunião da quinta-feira. Em última análise, a principal interessada na regularização dos voos é a prefeitura. Penso!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *