Economia

LagesPrevi: Um fundo mal, outro muito bem

É de domínio daqueles que mastigam o assunto que o LagesPrevi possui dois fundos previdenciários. Isso decorre de uma exigência do Ministério da Previdência que em 2013 instituiu a chamada segregação de massa. Aposentados, pensionistas, bem como servidores efetivos até 31 de agosto de 2013 ficaram no Fundo Financeiro. E quem adentrou como efetivo no Paço depois de tal data, ingressou no Fundo Previdenciário.

E…

Se o Fundo Financeiro é responsável por sugar todo mês mais de R$ 2 milhões das finanças municipais para tapar a diferença entre o que se arrecada (da prefeitura e efetivos) e o que se paga de pensões e aposentadorias, o Fundo Previdenciário vai muito bem, inclusive com um superávit beirando os R$ 35 milhões.

ENTÃO

Como esse valor superavitário dos primos ricos do LagesPrevi é gerido por um conselho, a cada quatro meses seus integrantes se reúnem com consultores de investimentos. Oportunidade em que recebem informações sobre tendências de mercado e cenários do setor para investir o valor, visando fazer o dinheiro render e contribuir para custear as futuras pensões e aposentadorias. Conselheiros e especialistas passaram a tarde de quinta-feira, 25, compartilhando informações.

Consultores Ricardo Giovenardi e Gustavo Tuckmantel, da empresa SMI Consultoria de Investimentos, de Florianópolis, repassaram informações aos integrantes do conselho do LagesPrevi

PARA ENTENDERMOS OS DOIS FUNDOS

DEFICITÁRIO – Aquele Fundo Financeiro que é deficitário em que servidores contribuem com 11% e a prefeitura com 18% dos valores salariais, possui 831 aposentados e 261 pensionistas e 2.172 servidores ativos contribuintes para bancar o custeio. Daí que a matemática entre arrecadação e despesa não fecha, carecendo de a prefeitura bancar mais cerca de R$ 2 milhões mensais.

SUPERAVITÁRIO – Já o Fundo Previdenciário originário em 01/09/2013 possui 959 servidores segurados e contribuintes, não tendo gasto (ainda) com pensões e aposentadorias – porque é bem recente – sendo que as contribuições (dos servidores e do patronal, no caso os 18% da prefeitura) somam os quase R$ 35 milhões.

P. S. 

Os dados de número de servidores, aposentados e pensionistas se referem ao começo de outubro de 2018. Atualmente esses números apresentam leve alteração em face dos novos benefícios concedidos de pensões e aposentadorias.

EM TEMPO

Esse esclarecimento sobre os dois fundos, sendo um deles equilibrado e superavitário – e que deveria ter sido instituído nesses moldes quando da criação do instituto de previdência municipal (IPML) – salvo melhor leitura do relatório, não vimos ser abordado na CPI do LagesPrevi. Os valores do superávit na casa dos R$ 35 milhões, bem como o fato de que esse Fundo Previdenciário não incomodará as finanças do Paço, nada disso fora abordado. Salvo se foi feito e não observamos!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *