Economia

Período de vacas magras rondam o Paço

“O que está assustando é o crescimento da despesa”.

Prefeito Ceron abriu o coração e os números sobre a realidade que a prefeitura paroquiana passa a enfrentar em decorrência da queda na arrecadação já registrada em maio e o chamado ‘crescimento vegetativo’ de despesas, principalmente com pessoal. Não se trata de uma realidade apenas local. Nenhum município deixará de enfrentar esse período de vacas magras.

GASTOS COM PESSOAL

Além do aumento de gastos com a folha, a prefeitura banca R$ 1.600.000,00 para o Lagesprevi para custear despesas previdenciárias. Consideramos o valor meio elevado e fomos confirmar com o presidente do instituto, Aldo Honório, o Nene. Segundo ele, existem dois Lagesprevi. “Um que possui R$ 30 milhões em caixa e outro com esse déficit mensal que o município precisa custear. É uma situação bem preocupante”, aponta Nene.

O déficit previdenciário que precisa ser coberto com recurso municipal preocupa Ceron e o presidente do lagesprevi, Aldo Honório

 

PROGRAMAS EM 2019

De acordo com Ceron, a partir de janeiro a prefeitura irá manter somente os programas obrigatórios, previstos nos convênios com Estado e União. “Embora mesmo esses programas acabem saindo mais da prefeitura que dos outros entes”. O prefeito aponta que há uma cautela gigante no equilíbrio, mas a inconstância da economia, com a queda de arrecadação, exigirá o freio de mão puxado.

OS 273 COMISSIONADOS

Lendo na colega Olivete Salmória sobre reportagem no DC onde o Ministério Público colocou no radar 273 cargos comissionados de Lages contestados, indagamos sobre o assunto ao prefeito. Ceron disse que já praticou o gesto de corte ao assumir, reduzindo de 428 comissionados para 299. E que a ação que perde o corte de outros 95 não é de agora. “Mas não descartamos cortes até pela necessidade imposta, inclusive de secretarias”.

Ceron com um olho na gestão e outro na arrecadação, prevendo um período de vacas magras por conta da elevação de gastos, inclusive com pessoal e previdência

REFLEXO DA GREVE DOS CAMINHONEIROS

Indagamos sobre o percentual de redução da arrecadação em maio. Ceron disse que ainda precisa fechar os dados para ter esse índice de forma mais clara.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *