Economia

SC: Desgosto com mais imposto em agosto

Raimundo Colombo transformou em mantra o fato de que naqueles 85 meses que foi governador não aumentou impostos em Santa Catarina. “Enfrentamos várias crises na economia do País sem elevar a carga tributária”, repetia o líder lageano. Sucessor de Colombo não lê a mesma cartilha. E o resultado disso os catarinenses sentirão no bolso a partir deste primeiro dia de agosto.

ICMS CHEIO

Água mineral tem o ICMS elevado de 7% para 17%. Esses 10% a mais no preço do produto vão sair do bolso do consumidor. Esse é apenas um produto, mas vários outros também têm a revisão (para mais) do percentual do imposto estadual. É o fim dos incentivos e a elevação de preços que vai desde o leite em pó até o cigarro. Meno male que produtos da cesta básica estão fora de tal elevação.

AGRO É 17%

Até o final do expediente desta quarta-feira, 31, as casas agropecuárias revendem agrotóxicos sem incidência de ICMS. Tais estabelecimentos podem abrir as portas nesta quinta-feira, 01, praticando 17% de ICMS nos defensivos agrícolas. Essa mudança brusca e assustadora para o setor agrícola causa protestos. Zezo Pedroso, por exemplo, da Faesc taxa como ‘punhalada no agronegócio catarinense’.

Governador Carlos Moisés que, diante da necessidade de reforçar o cofre, por causa da situação econômica cambaleante do governo, reviu a política de incentivos que vai resultar em elevação de preços de produtos que antes tinham isenção tributária ou ICMS mais modesto

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *