Economia

Vereadores propõe ‘desaditivo’ em Lages

QUEDA DE PREÇO NO PETRÓLEO JUSTIFICARIA

Vem da bancada do PSL na Câmara de Lages – sim ela existe e é composta por quatro vereadores – uma proposta que tem sua pertinência. Juridicamente os aditivos são admitidos nos contratos entre empresas e poder público para o chamado equilíbrio econômico. Ele (o aditivo) decorre de uma situação de anormalidade no mercado com repercussão nos insumos que encarecem o custeio de uma obra. Mas quando esses insumos ao invés de aumentar têm valor reduzido?

POIS ENTÃO…

É bem nesse interpretação que Luiz Marin, Lucas Neves, Bruno Hartmann e Ivanildo Ribeiro estão sugerindo ao prefeito Ceron e ao secretário João Alberto Duarte (Obras) revejam as planilhas de execução de pavimentações asfálticas em Lages. “Este pedido se faz necessário pensando na economia para os cofres públicos em tempos difíceis, que todos estamos vivendo em meio a pandemia”, aponta a justificativa.

EMBASAMENTO

“Tendo em vista que no dia 24 de setembro de 2018, o preço do barril do petróleo era de R$ 328,86 e, passados menos de 20 meses, em 27 de abril de 2020, o preço do barril do petróleo foi cotado a R$ 130,16 significa uma queda de aproximadamente 60% no preço da principal matéria- prima componente da massa asfáltica utilizada na pavimentação de ruas”.

Vereador Ivanildo, que também está no PSL, assinou a recomendação acima juntamente com os colegas de partido para que os contratos sejam revistos por causa da diminuição do preço do petróleo, principal componente do asfalto que chega às vias públicas através de obras, como aquelas financiadas pelo Finisa

Foto: Arquivo/Nilton Wolff

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *