Geral

10 obras mais urgentes para Lages

REVITALIZAÇÃO DA CARAHÁ – Avenida Belisário Ramos precisaria de nova camada asfáltica, redirecionamento das águas da chuva e tratamento de sinalização. Incluiria-se a construção de uns dois piscinões de represamento de água em locais estratégicos, evitando alagamentos em áreas pontuais.

LIGAÇÃO SÃO MIGUEL AO CENTRO – Para desafogar o tráfego da região da Penha e acesso a São Joaquim diretamente ao Centro e região da Uniplac, a solução é uma travessia pela linha férrea na altura da estação ferroviária.

ACESSO À AMBEV E SC-114 – Pior acesso a Lages é disparado aquele que liga a Penha à Ambev. Precisa tudo naqueles 5 km. Obra cara e difícil de ser executada. Mas que a cada dia o trecho fica pior.

SAÍDA DO CENTRO AO CORAL – Já se projetou, desenhou e engavetou a ponte sobre o rio Carahá no final da rua Lauro Muller. Com redução das canteiros da Rua Brasília e desapropriação no final dessa via, teríamos uma avenidona ligando o Centro ao Coral.

TÚNEL LINER DO RINHADEIRO – Mesmo tratamento dado na Rua Rio Grande do Norte precisa na Avenida Brasil canalizando a água do ‘rio do Ceron’ para o Rio Carahá. Outra obra que também não é barata!

VIADUTO ACESSO AO GARDEN – Antes e depois do trevo do Garden na BR-282 há elevação da rodovia que permite se implantar um viaduto (tipo túnel) por baixo da estrada federal. É a solução para desatar o nó do trânsito para o Garden, Guarujá e novos loteamentos.

VIAS MARGINAIS ATÉ ÍNDIOS – Questão de tempo. Talvez bastante tempo. Mas a continuidade das vias marginais da BR-282 em direção a Índios contribuiria para esse crescimento que a cidade está dando para aqueles lados.

CONCLUSÃO DO COMPLEXO PONTE GRANDE – Obra ora é real, ora miragem e precisa ser concluída. Repercute em saneamento básico e mobilidade urbana nessa pedaço de Lages.

CONSTRUÇÃO DE UMA PREFEITURA – O município está condenado a gastar uma fortuna em locação porque não tem um espaço próprio mais amplo. Demanda arrojo, coragem e alguma coisa de dinheiro.

RECAPE DE VIAS ASFALTADAS – Ruas como João Goulart (Pisani), Independência (Gethal), João José Godinho (Morro do Posto), Primeiro de Maio (Caravágio) e inúmeras outras, não têm mais capacidade de infraestrutura para suportar tráfego. Precisam de nova pavimentação sob o risco de, num intervalo de 5 a 8 anos, tornarem-se estradas de chão.

QUANTO CUSTARIA ISSO?

Vamos retirar a implantação das vias marginais até Índios cujo custo seria do Governo Federal. Mas as demais demandas apresentadas acima teriam um custo próximo a R$ 500 milhões. Ou seja, a arrecadação de um ano para dar essa nova roupagem na infraestrutura de Lages. Talvez a palavra NUNCA seja a resposta sobre quando isso será executado. Talvez se Santa Catarina tivesse um governador lageano…

Essa avenidona que acompanha o rio Carahá (no registro da MSM Imagens Aéreas) é uma das que precisariam investimentos

Compartilhe

3 thoughts on “10 obras mais urgentes para Lages”

  1. Boa tarde, não moro no Guadalajara, tenho parentes que moram lá, mas é uma vergonha deixarem de fora de asfaltar o acesso a aquele bairro, quando chove, lamaçal, e com tempo bom uma poeira infernal.
    Essa administração não é levada a sério.

  2. Caro Edson talvez faltou falar da obra realmente mais urgente!
    Aumentar o leito dos rios passo fundo e caraha para evitar os alagamentos constantes no Sagrado, Passo Fundo, São Cristovam e outros bairros da cidade. Nem precisa falar o prejuízo que as pessoas tem a cada chuva um pouco mais forte.

  3. PRECISAMOS DE CICLOVIAS, CICLOFAIXAS, CALÇADAS REVITALIZADAS, ARBORIZAÇÃO, ENFIM….

Deixe uma resposta para carlos.araujosa@uol.com.br Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *