Geral

2022: Pesquisa sem registro não pode

ESSA É A REGRA MAIS ESSENCIAL AOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NESSE INÍCIO DE ANO ELEITORAL

Acabou aquela coisa de divulgar sondagens, tendência do eleitorado e outros tipos de consultas que testavam a opinião dos votantes em relação ao pleito que ocorre daqui 270 dias (9 meses). Essa é a primeira regra que impacta o noticiário sobre a eleição. É preciso registrar as pesquisas a serem divulgadas. Nesse registro deve constar:

I – Contratante com CPF ou CNPJ;

II – Valor e origem dos recursos;

III – Metodologia e período de realização;

IV – plano amostral e ponderação quanto a gênero, idade, grau de instrução, nível econômico do entrevistado e área física de realização do trabalho a ser executado, bem como nível de confiança e margem de erro, com a indicação da fonte pública dos dados utilizados;

V – Sistema interno de controle e verificação, conferência e fiscalização da coleta de dados e do trabalho de campo;

VI – Questionário completo aplicado ou a ser aplicado;

VII – Quem pagou com CPF ou CNPJ;

VIII – Cópia da respectiva nota fiscal;

IX – Dados sobre o estatístico;

X – Indicação do Estado e cargos pesquisados.

Há uma resolução que você conhece clicando aqui que trata sobre as regras da divulgação de pesquisas. A divulgação em desacordo pode dar multa superior a R$ 100 mil e a fiscalização cabe aos partidos e seus representantes (através de representação) ou diretamente pelo MPE – Ministério Público Eleitoral

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.