Geral

A eficiência da Polícia Civil em Lages

OUTDOOR DESTACA O TRABALHO DE DELEGADOS ELUCIDANDO 96% DOS CRIMES NA CIDADE. REGISTRE-SE QUE ESSA EFICIÊNCIA É RESULTADO DA AÇÃO TAMBÉM DAS OUTRAS CATEGORIAS QUE INTEGRAM A PC

A BELA E OS FERAS – A peça publicitária acima está na esquina da rua Frei Rogério com a Avenida Presidente Vargas. Abaixo da moça bonita no outdoor está a mensagem que evidencia a eficiência da polícia judiciária estadual em Lages. Trata-se da elevada resolutividade de crimes contra a vida, a partir da investigação liderada pelas autoridades policiais que são os Delegados da Polícia Civil. Os dados consideram ocorrências desde 2013.

ACIMA DO ESTADO E DO PAÍS

Em Santa Catarina o índice de elucidação de crimes contra a vida chega a bons 78%. Mas Lages está acima desse índice estadual e bem melhor que os dados nacionais. Pegamos do Estadão as informações que apontam o seguinte:

“Estudo, com base em dados dos Ministérios Públicos e Tribunais de Justiça de 19 Estados, revela que o índice de 37% de homicídios esclarecidos piorou ante o levantamento anterior, com dados de 2018, quando 44% tinham sido denunciados até o fim do ano seguinte. A média mundial de elucidação de assassinatos é de 63%, segundo o estudo”.

UM DOS CRIMES NÃO ELUCIDADO

Logicamente que os índices positivos se sobrepõe à realidade de crimes contra a vida que a Polícia Civil não conseguiu elucidar. Poderíamos ilustrar tal realidade com o ocorrido há quase quatro anos quando Antônio César Pereira, de 52 anos, foi encontrado morto em uma casa localizada no Bairro São Sebastião, em Lages. A Polícia Militar informou que além de rasparem seu cabelo, o autor (ou autores) cortaram os cinco dedos da mão esquerda e um dedo do pé. Sobre a mesa, cheia de sangue, a polícia encontrou um pedaço do pênis. Até onde a gente sabe, até hoje não se elucidou o bárbaro crime.

ATUALIZANDO

Citamos que esse caso acima está entre os não elucidados, mas convém atualizarmos. O autor foi identificado e preso. O processo está no Poder Judiciário!

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *