Geral

Ainda sobre Dirceu Carneiro na Câmara

EX-SENADOR GRAVOU CONTEÚDO PARA A TV DO LEGISLATIVO LAGEANO. ANTES MESMO DA VEICULAÇÃO DO MATERIAL, ASSUNTO REPERCUTE POR CAUSA DO CARISMA DO LÍDER LAGEANO

Na chegada à Câmara, como já informamos, o próprio presidente Gerson dos Santos (PSD), foi recepcionar Dirceu Carneiro. Foi de autoria do referido vereador o projeto de lei que concedeu o título de Cidadão Lageano ao arquiteto que atuou na política por duas décadas e depois optou pelo recolhimento das atividades públicas

Sabe aquelas pessoas que você entrevista e a equipe faz questão de um registro. Aí está o apresentador Reginaldo Heine e a equipe da TV Câmara com a chapa que administrou Lages entre 1977 e 1983: Dirceu Carneiro e Celso Anderson de Souza

QUE PONTE É ESSA?

Entre os registros que vieram da participação de Dirceu Carneiro no conteúdo gravado para a TV Câmara, veio essa imagem acima. Alguém se habilita a informar que ponte é essa que estão sendo inaugurada?

Esse foi outro registro que recebemos de um ato formal e oficial no gabinete da Prefeitura de Lages com Dirceu Carneiro e seu vice Celso Anderson de Souza, que depois assumiria como prefeito para que o titular concorresse e se elegesse Deputado Federal. Destaco ainda no registro ninguém menos que Silva Muller (esquerda) e o saudoso Chico de Assis, nos tempos que a captação de áudio para a Rádio Clube era naqueles gravadores um pouquinho maiores que os Iphones de agora.

DIRCEU CARNEIRO NA HISTÓRIA DO BRASIL

Quando houve o impeachment de Fernando Collor, a trinca de senadores catarinenses votaram pelo desdobramento ocorrido. Tanto Dirceu Carneiro, quanto Nelson Wedekin e aquele que voltou a ser Senador, Esperidião Amin, votaram contra Collor. Mas coube ao lageano o protagonismo da transição.

Em 29 de dezembro de 1992, na condição de primeiro-secretário do Senado Federal e, sob os olhares atentos do Brasil inteiro, Dirceu foi o responsável por comunicar oficialmente ao então presidente Fernando Collor que este havia sido cassado.

Sete minutos depois, Dirceu empossou Itamar Franco. No registro aquele que seria o Ministro da Economia de Itamar, FHC e que depois se tornaria por dois mandatos presidente do Brasil.

O que disse Dirceu Carneiro ao entregar o cartão vermelho a Fernando Collor: – “Que isso sirva de exemplo de democracia para a América Latina”.

Compartilhe

1 thought on “Ainda sobre Dirceu Carneiro na Câmara”

  1. Grande Dirceu. Será que o Heine lembrou do imbróglio no projeto do ranário no salto e da célebre frase: “Lages precisa de rãs, não de Ranzolin”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *