Geral

Lages: Argumentos antes do lockdown

ATÉ O PRESIDENTE DA CÂMARA DISCURSOU ANTES DA ASSINATURA DAS MEDIDAS

As redes sociais transmitiram – assim como a Clube FM 98,3 – o pronunciamento do prefeito Antonio Ceron para decretar o ‘fecha quase tudo’ em Lages. Exceto pela rádio onde a audiência é mais abrangente, as redes sociais colocaram cerca de 15 mil pessoas acompanhando o pronunciamento. Mas o prefeito Ceron foi rápido com 17 minutos de fala, iniciando a manifestação à 10h47min.

OUTRAS MANIFESTAÇÕES

Antes do prefeito Ceron falar e assinar o decreto houve manifestação dos diretores dos hospitais Tereza Ramos e Nossa Senhora dos Prazeres, relatando a realidade vivida. O médico Leonardo Coelho, da linha de frente do Samu, deu o tom da situação da situação. Algumas frases do Doutor Leonardo:

“Estamos vivendo o caos”.

“A situação é desesperadora”.

“Neste domingo há 5 pacientes aguardando UTI”.

“A gente sabe que nas próximas duas ou três semanas vai piorar”.

“Esgotamento é grande. Encontramos profissionais chorando nos corredores”.

“Às vezes você precisa tomar decisões desesperadoras quando vê quatro, cinco pacientes chegando ao mesmo tempo”.

“Eu peço empatia, amor. Porque isso é a única moeda de troca nesse momento para manter o equilíbrio”.

Médico Leonardo Coelho e uma sequência de relatos bem preocupantes

APOIO E CRÍTICAS NAS REDES

Nas redes sociais foram quase 2 mil comentários devido à estratégia de colocar diretores de hospitais, médicos e até políticos falar antes do anúncio do prefeito. A maioria dos internautas apoiando aquilo que estava por ser anunciado (lockdown). Mas não faltou críticas pelo fato do Tereza Ramos não estar com a nova ala toda em funcionamento. “A questão física se resolve. Nosso problema maior é profissional de saúde. Temos sete médicos que pediram para sair e técnicos que estão pedindo exoneração”, apontou em seu relato o diretor Maurício Batalha.

Maurício Batalha expôs a preocupação com recursos humanos para ampliar o atendimento no Hospital Tereza Ramos onde os leitos de UTI estão 100% ocupados

OUTRA PREOCUPAÇÃO

Maurício Batalha citou uma situação que reforça a preocupação. Quando uma pessoa está na UTI, ao receber alta, precisa ir para leito de enfermaria. Mas esses também estão com ocupação beirando os 100% não apenas em Lages, mas nos municípios da Serra como São Joaquim e Otacílio Costa.

Esses são os dados da véspera do anúncio do lockdown. São 812 pessoas com a doença em Lages, UTI com 100% e enfermaria com 96% de ocupação na cidade

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *