Geral

Atraso ‘salva’ ocupação do Mercado

LICITAÇÃO FOI LANÇADA AGORA PARA COMPLEMENTAR OCUPAÇÃO DE BOX. OBRA FICA PRONTA EM AGOSTO

Embora uma hiena ou outra possa pensar na singeleza de sua mente que há um movimento de criticidade sem fundamento na paróquia, essa situação do Mercado Público sendo revitalizado em Lages, exemplifica que não. Existe uma torcida coletiva para as realizações e os contrapontos ocorrem para evitar repetir os mesmos erros. Exatamente como no caso que envolveu a revitalização do Calçadão e agora do Mercado Público.

PARA ENTENDER A DINÂMICA

Não há qualquer pedrada ao empreendedorismo do empresário Hernani Vieira em trazer ao mundo o moderno Café Central no Calçadão. Pelo contrário, é dinamismo inconteste. A observação se dirige apenas ao fato de que sua empresa poderia estar operando no Calçadão a pelo menos 15 meses antes. Isso se a licitação, que a prefeitura sabia que precisava fazer, tivesse sido realizada dentro do tempo hábil, inclusive considerando prazos de contestações e recursos. Isso não ocorreu.

O QUE TEM ISSO A VER

COM O MERCADO PÚBLICO?

É nessa tecla que tem se batido. Se houvesse a mesma lentidão da licitação para operar no Mercado Público, a estrutura ficaria pronta (revitalizada) sem comerciante para operar. E olha que a dinâmica licitatória acabou sendo salva pela demora do cronograma da obra. Prefeito Ceron disse em agosto que o Mercado revitalizado seria entregue aos lageanos no aniversário da cidade (23.11.20). No final do ano passado, não tendo ocorrido a entrega, anunciou-se (via boletim da prefeitura) a previsão de inauguração para março de 2021.

MAS…

Ainda bem que não deu. Porque se a obra tivesse ficado pronta, a totalidade de box não seria ocupada porque nesta semana saiu a licitação para complementar a escolha de ocupantes de espaços. E a previsão da revitalização ficar pronta (porque faltam 5% das obras) é para o mês de agosto.

ENTÃO

Não é uma obra que tem pressa até porque vai ficar algo muito bom e positivo para a cidade. O contraponto é somente em relação à lentidão da parte que compete à prefeitura e não à empresa, no caso a licitação para escolher aqueles que irão operar dentro desse espaço. E se não ficar ‘cutucando’ a coisa não anda, como não andou no Calçadão.

O MERCADO SEM TAPUMES

Paulo Marques compartilhou fotos do mercado em processo final de revitalização já sem tapumes. E dá para se ter ideia do quanto a estrutura revitalizada está ficando macanuda

Aqui a visão do mercado a partir de quem desce pela rua Hercílio Luz em direção à Avenida Carahá

E aqui a ideia de como ficou o espaço ampliado do Mercado Público (entre a estrutura antiga e o antigo prédio da SAMT). Faltam complementos finais que, pela previsão, ficam prontos dentro de cerca de 120 dias

ENTÃO E PORTANTO

Em tese está todo mundo do mesmo lado, torcendo para que obras como essa, importantes e necessárias, deem mais opção ao lageano e visitante. Mas o fato de estarmos na mesma torcida não impede que se destoe do efeito manada, cobrando a correção de lentidões desnecessárias, como no caso da licitação e ocupação dos espaços. Até porque, inaugurar o mercado revitalizado e deixá-lo fechado seria um carimbo da falta de competência. E como a licitação complementar está saindo agora em abril, se o cronograma tivesse sido atendido, e a obra entregue em novembro, lá estaria o mercado virado num elefante branco. E isso ninguém quer. Quero crer!

***

PROMOÇÃO DA SEMANA

NO EMPÓRIO DAS CARNES

Aproveite também cortes nobres de bovinos precoces criados a pasto com abate semanal no Empório da Avenida Carahá em Lages!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *