Geral

Audiência pública pauta solução à BR-282

INICIATIVA DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA CHAMA AUTORIDADES PARA DISCUTIR MOBILIDADE NA LIGAÇÃO LAGES AO LITORAL DE SC

O papel da Procuradoria da República é visualizar problemas que afetam uma coletividade e provocar discussões para se buscar solução. Exatamente nessa linha pontua o Procurador da República, Nazareno Jorgealém Wolff, diante de uma realidade preocupante que é a trafegabilidade da BR-282 entre Lages e Florianópolis, especialmente em dois gargalos: chegada à Capital e no trecho de aclives e declives entre Alfredo Wagner e Rancho Queimado.

NESSE SENTIDO

Uma audiência pública foi provocada pela Procuradoria da República. Tendo como palco a Acil, a mobilização reuniu lideranças políticas e técnicos (como da concessionária que administra a BR-116). Na pauta, uma solução conjunta a ser apresentada ao Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes. “Não temos uma solução exata. Mas temos convicção que existe solução. Mas é preciso que se provoque discussão e que se inicie e se dê sequência a isso nas outras esferas de gestão”, pensa com razão o Procurador da República. Nazareno Wolff observa que uma rodovia precisa garantir mobilidade para preservar a vida das pessoas. Inclusive esse é o foco: preservar a vida, reduzindo acidentes. O ganho econômico de uma melhoria, com possível concessão é uma consequência.

O QUE SE ENCAMINHOU?

Esteve presente na audiência pública o presidente da Comissão de Infraestrutura no Senado, o catarinense Dário Berger. Decidiu-se pela formação de uma comissão que se levará à Brasília uma proposta de concessão da BR-282, exigindo-se como contrapartida a implantação de terceiras faixas ao longo desses 200 km em direção a Florianópolis. Na outra ponta há preocupação pela privatização da estrada, mas dentro de um modelo que não onere em demasia o usuário com tarifas elevadas de pedágio.

Secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Vieira, prefeito Ceron, Procurador Nazareno, Senador Dário e deputada Carmen Zanotto, na audiência realizada na Acil com a BR-282 na pauta

QUAL SERIA O MODELO IDEAL?

Na verdade o modelo ideal de concessão da BR-282 seria aquele adotado na BR-101 Sul, cuja cobrança de pedágio começou no mês passado (maio de 2021). Ali entre a partir do município de Paulo Lopes, passando por Laguna, Tubarão e seguindo em direção à Criciúma, o Governo Federal duplicou a estrada, executou as melhorias e, depois de tudo pronto, licitou, concedendo à iniciativa privada. Com isso o pedágio tem valor módico (R$ 2,10). Mas se for feita uma concessão da BR-282 com a empresa vencedora tendo que fazer todas as obras necessárias o pedágio custaria (segundo estudos preliminares) mais de R$ 30,00 para cada praça (e isso seria insustentável).

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *