Geral

Cabo eleitoral ajuda ou atrapalha?

NA CAMPANHA DE LAGES ALGUNS APARECEM, OUTROS NEM TANTO

Porque é do jogo e da estratégia eleitoral, candidatos tentam colar (e também descolar) daqueles aos quais suas candidaturas são alinhadas. E excetuando o Professor Ed cujo trato é com o povo, os demais concorrentes de Lages têm cabos eleitorais de peso para mostrar, ou se afastar deles…

Lula aparece no horário eleitoral da TV e nas inserções de rádio pedindo votos para Cleimon Dias e propagando a recuperação do Brasil através da eleição do maior número de companheiros nas prefeituras em 2020

Ex-governador Colombo, além de conteúdos gravados para o horário eleitoral de Ceron, tem feito contatos na busca de apoio à reeleição do Gringo

Pensando na eleição a governador em 2022, Senador Jorginho já quer ir vencendo desde agora. Apoia e pede votos à Carmen Zanotto para já deixar sua bandeira fincada nas terras lageanas para a peleia Estadual.

Numa opção absolutamente respeitada, Lucas Neves preferiu não colocar Carlos Moisés em seus programas eleitorais. Embora agora o governador esteja meio devarde, podendo ajudar nas campanhas, o candidato do mesmo PSL de Moisés prefere certa distância do líder estadual.

Os gordinhos simpáticos da campanha em Lages não se desgrudam da imagem de Bolsonaro. Nos áudios disparados de forma individual (e isso pode) pelo whats, reforçam que Bolsonaro precisa que seja pavimentada agora a reeleição para 2022. Airton e Ronaldo procuram colocar ao máximo nessa proposta. Não estão errados e nem errando!

E por uma questão de equidade e equilíbrio, mostrando nuances das seis candidaturas, aqui está o Professor Ed, em carreira solo na busca do Paço. O candidato do PSOL, se comparado aos demais concorrentes que têm cabos eleitorais de peso (e alguns nem tanto), prefere a máxima do antes só do que mal acompanhado!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *