Geral

‘Carta dos empresários de Lages’ não é de Lages

DOCUMENTO QUE CIRCULA NAS REDES PREGA DESOBEDIÊNCIA A DECRETOS

Colega Olivete Salmória publica como sendo dos empresários locais uma ‘Carta Aberta dos Empresários do Município de Lages’. Documento é direcionado ao governador Moisés, prefeito Ceron, vereadores, Comitê de Contingência ao Coronavírus (sic!) e ao povo lageano. Mas a tal carta não é de empresários de Lages. Trata-se de um texto que tem circulado em vários municípios e não tem assinatura ou identificação de autoria.

PARA COMEÇO DE CONVERSA...

É preciso deixar claro que não nos cabe defender este ou aquele lado quando o assunto é medida de enfrentamento à Covid-19. São situações cujo tecnicismo fogem ao nosso conhecimento leigo. Da mesma forma não há como vilanizar o empresário, visto que esse tem suas perdas decorrentes da restrições. Porém, acima de tudo não nos cabe dar voz à pressão anônima, como se isso fosse encontrar eco e ser levado em consideração diante de uma tomada de decisão.

TRECHO DA ‘CARTA’

Informarmos que a partir do dia 15 de março de 2021, não aceitaremos e muito menos seguiremos qualquer decreto que impeça qualquer pessoa no Município de LAGES de exercer seu Direito Constitucional da Livre Iniciativa (Art. 1o, IV, CF e Art. 170, CF).*
*Qualquer novo decreto que impeça o trabalho irá comprometer outro Direito Constitucional, o da Dignidade da Pessoa Humana (Art. 1o, III, CF) seja para Empresários, Colaboradores, Funcionários Públicos, Aposentados e outros, pois, além de inviabilizar a continuidade de atividades, demissão em massa, quem tem seus proventos sofrerá com enorme redução em virtude da inflação no preço dos produtos”.

CONTRÁRIO À LEI

O teor acima não encontra qualquer embasamento jurídico e nem força de sobressair, caso haja a prática do ‘não seguir qualquer decreto’. O documento ainda defende o tratamento precoce (que permeia vários debates e que, se efetivamente funcionasse, tudo estaria resolvido). E chega a falar em agir em legítima defesa diante de medidas do poder público. Tudo, portanto, que não faz qualquer sentido num momento como esse, só podendo subsistir um teor desses se for divulgado de forma anônomia.

MP INVESTIGA NO PR

No Paraná a referida carta, que troca apenas o nome da cidade, mas contém o mesmo teor, está sendo investigada como fake news. Em Umuarama, o prefeito local pediu ao Ministério Público investigação que permita chegar à autoria de quem produziu (e se possível quem está compartilhando), visto que pregar, defender e orientar a desobediência civil caracteriza crime. “É caso de polícia e estamos tomando as devidas providências”, disse o prefeito de Umuarama, Celso Pozzobom.

OU SEJA

Quem se esconde atrás de uma publicação assim, para ameaça velada, de forma anônima, ao invés de estar pressionando para uma solução, pode estar, como se diz no popular ‘arrumando pra cabeça’.

Pressão anônima diante de um quadro desses acima, não contribui para alterar o cenário. Há solidariedade, respeito e reconhecimento à dificuldade enfrentada pelo setor produtivo. Mas os representantes desses setores (Acil, CDL e etc) buscam o argumento, os dados e as informações para tentar alterar posicionamentos adotados pelo poder público. E não é com ameaça à desobediência civil que as coisas vão se resolver. Pelo contrário…

Compartilhe

1 comentário para: “‘Carta dos empresários de Lages’ não é de Lages”

  1. Boa tarde Edson.

    É legítima a indignação dos comerciantes, mas também é legítimo o lockdow decretado pelo prefeito.

    O q não é legítimo é anonimato,. Aliás, anonimato de um plágio , o q daria pra entender a mediocridade de quem fez o plágio e publicou ( não tem capacidade para criar um texto, mas indica tratamento)

    Por fim, oportuno dizer q no Paraná, o governador, q é filho do Ratinho. Defensor do presidente, decretou o fechamento total pelos próximos 9 dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *