Geral

Ceron não queria ir à reeleição

MAS ELE ERA CONTRA REELEIÇÃO SOMENTE DENTRO DE UM CONTEXTO

No final da campanha eleitoral houve a utilização de um trecho da manifestação do prefeito reeleito Antonio Ceron, sobre o advento da reeleição. Ele falou sobre o assunto numa daquelas coletivas à imprensa que fazia semanalmente no gabinete. Foi utilizado apenas trecho da fala onde o Gringo se posicionava contra a reeleição.

PORÉM

O contexto é mais amplo, visto que Ceron se posicionava contra a reeleição, desde que o mandato fosse de 5 anos. E foi nessa linha que o prefeito se manifestou, mas houve edição utilizando apenas a parte da contrariedade e não a condicionante.

O GRINGO NÃO QUERIA

Mas é fato que Ceron não morria de amores pela reeleição. E só foi para a disputa porque não encontrou um nome dentro do grupo que visualizasse a garantia do êxito. Considerava uma judiaria entregar a ‘reconstrução financeira’ da prefeitura a um ou outro sucessor sem experiência. Isso é tão verdadeiro que houve a Operação Lio.

QUE OPERAÇÃO FOI ESSA?

No período que antecedeu a definição de nomes, especialmente em outubro e novembro do ano passado, Ceron convidou e prospectou o nome do Procurador de Justiça Lio Marin. Ideia era filiá-lo ao PSD, tendo-o como candidato a sua sucessão. Ceron visualizava (e ainda visualiza) em Lio Marin uma pessoa que reúne as condições de gestão que um município precisa.

Lio Marin, aqui com o vereador Luiz Marin, em registro feito em novembro de 2019, quando da inauguração da revitalização do Calçadão. Lio frequentou os bastidores da conversa que significaria ele pedir aposentadoria no MP/SC e se dedicar ao projeto em Lages. Mas isso acabou não evoluindo.

OUTRO NOME

Nem sei se o empresário Valmir Tortelli sabe do assunto. Mas muito se pensou no nome dele para concorrer a prefeito, ao invés de Ceron. A gente nem sabe se ele chegou a ser convidado, visto que Tortelli dava sinais de resistência de deixar os negócios cheios de êxito para adentrar à seara da política. Mas até o próprio ex-governador Colombo pensara em colocar Tortelli nas peleias da gestão pública. Isso porque não havia certeza que Ceron viria à reeleição.

Como nunca é tarde para pensar em novos gestores para a política, eis os dois nomes pensados: Valmir Tortelli e Lio Marin. Quem sabe mais adiante, quem sabe!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *