Geral

Cheque em branco: Contraponto ao conto

VEREADOR JAIR JÚNIOR PEDE A PALAVRA PARA GARANTIR QUE NÃO MENTIU

Vereador Jair Júnior (Podemos) não aceita o nariz de Pinóquio quando o assunto é o atestado dado pelos vereadores para o manuseio de orçamento por decreto. “Em nenhum momento disse que poderia passar de uma secretaria para outra”, cita, referindo-se ao fato de que o remanejamento que discorda, sem autorização legislativa, é dentro da mesma secretaria.

DINHEIRO PARA A FOLHA

“Não há mentira nenhuma e nem inconsequência nenhuma na minha declaração. Com a aprovação do projeto se dá um cheque em branco para mexer como quiser no orçamento, tirando dinheiro de investimento, colocando em custeio, e vice versa, ignorando o que aprovamos no orçamento”. É o que confirma Jair Júnior. Ele observa inclusive que o exemplo que deu na área da Educação é verdadeiro. “Podem tirar dinheiro da construção de uma escola e gastar com comissionado da folha da Educação”.

Jair Júnior aponta que, mesmo essas alterações internas dentro das secretarias, em termos orçamentários, através de decreto é algo temerário, por não ter o aval prévio legislativo

Compartilhe

1 comentário para: “Cheque em branco: Contraponto ao conto”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *