Geral

Cirurgias: Desafio de 18 meses em 06

SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE ESTEVE EM SÃO JOAQUIM E URUBICI ARTICULANDO COM GESTORES DE HOSPITAIS E PREFEITOS UM GRANDE MUTIRÃO

“Durante 18 meses de pandemia a fila de espera por cirurgias eletivas (aquelas não urgentes) aumentou 40%. Diante disso, o governador Moisés orientou um planejamento para tentar atender uma demanda de 18 meses em seis meses”. Foi o que nos informou, via mensagem, o Assessor de Governo, Lucas Neves, que acompanhou em pleno sábado uma agenda do Secretário de Estado da Saúde, André Mota Ribeiro a São Joaquim e Urubici.

AJUDA DE TODOS OS HOSPITAIS

Na pauta das visitas o diálogo com os prefeitos Giovani e Nunes e Mariza Costa e conhecer in loco as condições dos hospitais dessas duas cidades. Para contar com os serviços de profissionais desses hospitais, o secretário André Mota fala em revisão da política hospitalar catarinense. “Para garantir que os hospitais filantrópicos tenham os devidos recursos pelos serviços prestados”. Há consciência que a pandemia tirou as cirurgias eletivas da prioridade, mas tais procedimentos têm certa urgência, do contrário passam para outra classificação, exigindo celeridade maior dos gestores.

Prefeito Giovani Nunes chegou a lembrar que foi a primeira vez na história que um Secretário de Estado da Saúde esteve visitando o hospital de São Joaquim, conhecendo a realidade, as demandas e a possibilidade da estrutura contribuir com esse mega mutirão de cirurgias eletivas, como o fez em âmbito regional quando do atendimento de pessoas com Covid-19

Agenda em pleno sábado também em Urubici com a prefeita Mariza Costa (centro) recepcionando o secretário André Mota Ribeiro (ao lado dela) e o Assessor de Governo, Lucas Neves (esquerda) na visita ao hospital São José

CONVERSA EM LAGES

Antes dessas visitas no sábado, André Mota Ribeiro esteve em Lages, na sexta-feira, 13. Dialogou e trocou informações com o secretário da Saúde, Claiton Camargo de Souza, mantendo a pandemia como principal assunto da pauta. O Secretário pediu mais agilidade na inclusão de vacinados no sistema nacional. Santa Catarina tem cerca de 1 milhão de vacinas que estão distribuídas nos 295 municípios, mas que ainda não foram cadastradas.

E…

Para poder solicitar mais doses ao Ministério da Saúde, especialmente para vacinar adolescentes, o Estado precisa agilizar os cadastros (a prestação de contas). Em lages, inclusive, servidores do Hospital Tereza Ramos já estão auxiliando a Prefeitura de Lages no cadastramento das doses no sistema. Ou seja, não se está criticando ou exigindo providências, mas ajudando para agilizar o procedimento.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *