Geral

Colombo: Moisés é ‘governo fantasma’

Atual governo catarinense é uma espécie de ‘arrumador das coisas’ em relação às ações que ficaram por concluir do governo Colombo e Pinho. A constatação não tem propósito de ofender ou defender os lados. Mas analise:

SAÚDE – A nova ala do Hospital Tereza Ramos foi construído o esqueleto, mas a parte mais complexa da obra ficou por fazer. Inclusive com correções do projeto original que não previa nem rampa. Foi preciso, com a demora criticada ao atual governo, que Moisés viesse e resolvesse. A nova ala está funcionando!

INFRAESTRUTURA – Deus e o então secretário Celso Calcagnotto sabem o que foi necessário fazer para que a revitalização do Centro e do Mercado Público não deixasse de ocorrer. Mas a conta ficou para o atual governo pagar. Ceron não esconde a gratidão pelo fio de bigode honrado por Moisés.

RODOVIA – Tem toda uma história envolvendo a razão da paralisação da estrada Anita a Celso Ramos. Os 25 km com custo de R$ 38 milhões estão com boa parte asfaltados. O asfalto que era para os lados de Anita acabou brotando na Coxilha Rica, mas até o acesso (trevo com a BR-116) ficou para o atual governo que deve executar a referida interligação.

HOSPITAL – Falando em saúde, até 2018 o lageano convivia com a novela das ameaças de fechamento da emergência do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. Volta e meia os repasses estaduais não vinham e a estrutura corria o risco de suspensão de atendimentos. Depois de 2019 nunca mais se noticiou tais ‘ameaços’ por falta de recursos.

PACOTE – Dias atrás veio o anúncio de R$ 34.800.000,00 em obras de infraestrutura para a área urbana de Lages. Providências que, se dependessem de dinheiro próprio do município, jamais se tornariam realidade.

E APESAR DISSO…

Ex-governador Colombo, naquela postura que a gente até entende, de tentar emplacar o discurso de oposição a Carlos Moisés, saiu com essa, durante entrevista ao Jornal Correio Otaciliense:

“Aí você vai vendo como estão as estradas. Quais são as obras que existem? Não tem nada! Diga uma obra. Você sabe de alguma? Não tem nada, não tem. É realmente um governo fantasma que faz muita propaganda, este ano vai bater o recorde de R$ 100 milhões em propaganda. Chega a… não vou dizer a palavra pesada… mas cansa de tanta propaganda. Isso com dinheiro do povo, mas ação não tem!”

Colombo fala em ‘governo fantasma’ sobre a gestão de seu sucessor. Mas o leitor deve tirar suas próprias conclusões do dito pelo não dito

Compartilhe

1 thought on “Colombo: Moisés é ‘governo fantasma’”

  1. De propaganda o Colombo também não pode falar. Foi um dos governadores mais “gastão” em publicidade que tivemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *