Geral

Combustível: Que preço é esse?

ANTES DE VILANIZAR DONO DE POSTO, VEREADORES PODERIAM BUSCAR A ORIGEM DOS PREÇOS E INFORMAR A RESPEITO

Há um mês está em vigor o decreto que determina que os postos de combustíveis apresentem os valores aproximados de tributos praticados até gasolina, etanol e diesel chegar à revenda. Abaixo um exemplo do que se pratica…

Para você não ler a letrinha pequena abaixo que traduz o significado do PMPF, essa sigla significa o preço médio praticado, excetuando o custeio do revendedor

SIGNIFICA QUE…

Em média um litro de gasolina (pegando a comum como exemplo), chega ao revendedor a R$ 4,77. A partir desse valor o dono de posto precisa colocar o custo do aluguel do estabelecimento (geralmente pago à distribuidora e às vezes a terceiros donos do imóvel), ainda o custeio da folha de pagamento (salários e encargos), despesas com energia elétrica, água, limpeza, segurança, manutenção. E depois de tudo isso ainda tirar sua margem de lucro.

E EMBORA…

Ninguém goste de estar gastando quase R$ 300,00 para encher um tanque do veículo, a elevação do preço a patamares absurdos não é ato do dono do posto. Inclusive há perdas desse revendedor direto ao consumidor porque, preço de combustível elevado faz com que o cliente se recolha e abasteça menos. Todos perdem, infelizmente!

EM TEMPO

Isso não é defesa da prática de preços altos (até porque todos nós gostamos de valores lá embaixo), mas uma constatação da realidade que estamos tendo que conviver enquanto motoristas!

Compartilhe

1 comentário para: “Combustível: Que preço é esse?”

  1. O problema é que o reajuste para subir o preço chega as bombas no dia seguinte ao anunciado nas refinarias e o contrário sempre tem q esperar o estoque novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *