Geral

Corona, consumo e o incorreto que viraliza

É verdade que o consumidor imprimiu uma correria para reforçar a despensa nestes tempos pré-corona em Lages. Há quem se prepare para período de escassez que talvez – e provavelmente – nem se concretize. E a gente torce que não se confirme, logicamente. Inclusive o prefeito Ceron foi para o SBT News esclarecer e pedir calma. E nesse diapasão há exageros até na interpretação de imagens. Abaixo um exemplo disso…

Essa imagem foi compartilhada e divulgada, diretamente do açougue de uma das unidades do Supermercado Myatã como sendo de um cliente comprando 50 quilos de carne moída para consumir na quarentena. Não procede isso.

PORQUE NÃO PROCEDE?

Primeiro porque esse tipo de balança (e essa especificamente) pesa até 30 kg. Logo, não poderia ter 50 kg no pacote. Segundo porque a carne no recipiente é um controle do próprio Myatã. A carne é utilizada para a produção interna de esfirra, pastel e outros salgados à base desse produto.

EM TEMPO

O Supermercado Myatã naquela linha de tentar atender a todos, limitou desde a terça-feira, 17, a determinadas quantidade de produto. A carne moída, por exemplo, nenhum cliente compra mais que 5 kg. Ou seja, além de fake news, o conteúdo não contribui para acalmar os ânimos nestes tempos de coronavírus. Até porque, ao pipocar na rede social, alguém vai interpretar assim: – Se o consumidor está levando 50 kg de carne moída, vem coisa feia por aí!

Compartilhe

3 comentários para: “Corona, consumo e o incorreto que viraliza”

  1. Parabéns Edson, são informações assim que o povo precisa, não simplesmente postar o que mandam se procurar saber a verdade….corretíssima sua postagem….parabéns de novo…

  2. Maioria da população sendo isolada e certos se acumulando em supermercados transmitindo uns para os outros, não temos problemas de abastecimento, povo tem que agir normalmente, sem estoques desnecessários, é só uma semana ou no máximo 15 dias o pico da infecção, não podemos é lotar os hospitais, com todos necessitando de atendimento ao mesmo tempo como nos supermercados. Temos três mortes no Brasil até o momento, China já passou o pico, teve 80.900 casos e 3.200 mortes para uma população de 1,4 bilhão de habitantes; na projeção, no Brasil comparado com a China, teremos no máximo 500 mortes e aproximadamente 12.200 infectados. Portanto, temos que agir com naturalidade, aceitar o isolamento e seguir a vida.

  3. Olá Epson, obrigado pelas informações sempre! Em relação a imagens de exageros, poderia nos esclarecer se procede uma imagem do Martendal com controle de acesso e fila dobrando a esquina.
    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *