Geral

CPI não terá oitiva de prefeito afastado

VEREADOR JAIR JÚNIOR FOI PARA AS REDES SOCIAIS FAZER PROVOCAÇÃO EM FORMA DE DESAFIO PARA TER CERON NA CÂMARA

Pessoa ligada ao prefeito afastado observa que Ceron não se negaria a comparecer na CPI da Semasa, responder perguntas e detalhar a atuação em relação à referida secretaria. “Ele faria isso sem qualquer dificuldade porque quem o conhece sabe que o mesmo não se recolhe de temas diversos que envolvem a administração”. Entretanto, embora tenha sido facultada a presença do mesmo na Câmara, para falar na CPI, em decisão da desembargadora Cinthia Bittencourt Schaefer, Ceron não irá comparecer.

ONDE RESIDE A DECISÃO?

Há entendimento daqueles que interpretam os passos dados pelo relator da CPI, vereador Jair Júnior, que as oitivas dos ex-prefeitos (Elizeu e Colombo) tinham como objetivo criar fato e não coletar informação para o relatório da comissão. Tanto que ambos não acrescentaram nada durante as oitivas, servindo apenas as suas presenças para repercussão nas redes sociais. E Ceron, que pretende na primeira oportunidade falar sobre o episódio (hoje ele não pode dar entrevistas), não vai na CPI porque teria, no mínimo, o tratamento dado por Jair Júnior a Elizeu e Colombo, transformando a oitiva naquilo testemunhado por quem acompanhou a sessão da CPI.

Como anunciou relatório final para ser lido em 28 de junho, o vereador Jair Júnior não deve contar com nenhum daqueles que ele mirou para estar frente a frente nas oitivas.

IMPORTANTE OBSERVAR QUE…

Embora o prazo de 120 dias termine na virada do mês de junho para julho, a CPI pode, por um motivo justo – e existe o andamento do processo que justifique isso – ser prorrogada por mais 60 dias. Até porque não há informação de que a comissão tenha coletado algum conteúdo robusto além daquilo que o Gaeco já investigou.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *