Geral

Diocese de Lages: Informações paroquiais

Depois da reunião do Bispo Diocesano, Dom Guilherme, com padres e párocos da Diocese de Lages, Padre Darci dialogou com a maior autoridade da igreja católica aqui na Serra Catarinense. O religioso fez as seguintes observações:

GESTÃO NAS PARÓQUIAS

“Nós temos que fazer um enxugamento, uma redução geral de despesas nas paróquias. Decidimos em comum acordo com todas as paróquias que iremos entrar naquele plano do governo, onde 50% (dos salários) a paróquia continuará honrando e o restante o governo vai pagar por três meses. Isso é automático e será encaminhado diretamente pela Cúria à instância devida”.

DOM GUILHERME CITA QUE

“A partir da adesão (à MP do governo), dentro de 30 dias os profissionais vão começar a receber. Até para que a gente não precise tomar medidas mais duras, como partir para a demissão. Isso seria muito triste, como tem acontecido em algumas empresas. Foi uma discussão muito ampla de tudo que temos que fazer para não precisar fechar as portas das paróquias (não as portas dos templos)”.

SOBRE CELEBRAÇÕES

“Em relação às missas, peço a profunda compreensão de todos os fiéis. Estamos além de 30 dias nessa quarentena sem as celebrações presenciais de fiéis, de acordo com as orientações do Papa Francisco e a CNBB. Agora, quando o governador fez a abertura dos templos ele fez algumas exigências impossíveis do ponto de vista da liturgia católica”.

BISPO EXEMPLIFICA

“Sabemos que os cultos evangélicos, com todo respeito, têm uma dinâmica, mas a missa, pensa num absurdo, num sacrilégio – que está naquela resolução do governo – colocar as hóstias dentro de saquinhos plásticos ou envelopes para entregar às pessoas. Isso é uma profanação do corpo e sangue de Jesus Cristo, Nosso Senhor. Além de outras exigências muito grandes, como a limitação de ocupação de 30%. Como iríamos fechar a porta na cara das pessoas?”

ASSIM

“Na reunião que tivemos entre as 10 dioceses, nós optamos pela defesa da vida. Assim, manteremos as celebrações sem a presença de fiéis, o padre vai rezar, continuaremos transmitindo pelas emissoras de rádio e pelas redes sociais e vamos esperar mais segurança. Para se ter ideia, se alguém chegar dentro do grupo de risco que o governo classificou, teríamos que pedir um atestado médico na porta da igreja de cada fiel para ver se ele não está enquadrado nesse grupo. Então são coisas totalmente inviáveis. Daí preferimos apelar para as 10 dioceses, mas a vida está acima neste momento. Assim que tivermos mais segurança, mais clareza voltaremos”.

Dom Guilherme compartilhou o posicionamento da Diocese de Lages, orientando padres, párocos e fiéis sobre a razão de (ainda) não termos celebrações presenciais nas igrejas

Com informações de Padre Darci Sá

Compartilhe

1 comentário para: “Diocese de Lages: Informações paroquiais”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *