Geral

Falece defensora da educação inclusiva

PROFESSORA EDITE SEHNEM ERA REFERÊNCIA EM POLÍTICAS DE INCLUSÃO NO ENSINO. FALECEU ATUANDO, PREGANDO SUA CRENÇA NA TRANSFORMAÇÃO PELA EDUCAÇÃO

Um pesar coletivo pela morte da professora Edite Sehnem. Coube ao jornalista Onéris Lopes, via Amures, compartilhar o triste ocorrido, quando a educadora, enquanto palestrava a profissionais de ensino de São Joaquim, Bom Jardim e Urubici, perdeu a consciência. Os presentes no Centro de Evento Newton Stélio Fontanella acompanharam o atendimento, quando socorristas do SAMU levaram a professora ao Hospital de São Joaquim. Ali, ela sofreu duas paradas cardiorrespiratórias e, infelizmente, faleceu.

LACUNA NO ENSINO DA SERRA

Especialista em Educação Inclusive, professora Edite Sehnem, pelo seu tecnicismo, com conhecimento enorme sobre a realidade do ensino na Serra Catarinense, estava ajudando construir uma proposta regional de educação inclusiva para os municípios da Amures. Assessorava o Cisama (consórcio da Amures), nesse sentido. Era preciso considerar a legislação vigente e apresentar um projeto prático para alterar e melhor os índices do ensino público na Serra. Professora Edite estava nessa missão, que não era somente dela. Sua morte deixa o desafio para que essa obra tenha continuidade

Professora Edite chegou a atuar como Supervisora de Atividades Educacionais Extensivas na Secretaria de Estado da Educação na gestão de Raimundo colombo. A Prefeitura de São Joaquim prestou solidariedade e suporte à família. Secretarias Municipais de Educação, como de Anita Garibaldi, prestaram solidariedade.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *