Geral

Festa do Pinhão: Gaby desmente Jair Júnior

Ainda na sexta-feira, 08, após confirmar o adiamento da abertura da licitação que escolherá a empresa que irá tocar a Festa do Pinhão de 2020 – e provavelmente dos quatro anos seguintes – secretário Antônio Alves Arruda citava que houve impugnações e questionamentos. E, a partir do parecer jurídico, optou-se pelo adiamento do certame, priorizando-se as respostas àquilo formulado por empresas que pretendem participar da licitação.

VEREADOR CHUTA

Ainda na semana passada, antes da suspensão do certame, o vereador Jair Júnior gravou conteúdo onde insistia que a licitação da Festa do Pinhão seria vencida pela empresa que executava o evento, a Gaby Produtora – fato que noticiamos aqui. Jair chegou a chutar que a exigência da empresa captar recursos através de lei federal de incentivo é demonstração de favorecimento à Gaby.

DESMENTIDO

Tanto foi um chute que está merecendo um desmentido pela empresa. Sem conhecimento, Jair Júnior não considerou que a própria Gaby está impugnando essa exigência de captação de recursos através da lei federal de incentivo. Se fosse para beneficiar a empresa, o silêncio é que teria mais lógica e não a discordância.

GABY SE POSICIONA 

Acima o o inteiro teor do posicionamento da Gaby Produtora, contrariando o chute do vereador de que uma das regras seria para beneficiar a empresa

E se restar dúvida sobre a impugnação da própria Gaby – conforme o print compartilhado pela assessoria acima – fica evidente que a discordância à regra que o vereador diz ser para beneficiar a empresa, ocorreu antes mesmo do conteúdo publicado por Jair Júnior

 

CONCLUSÃO SOBRE O ASSUNTO

Pelo que dá para entender, a Gaby Produtora vai, de fato, tentar vencer a licitação. Mas não está sozinha na parada e nem concorda com o inteiro teor do edital, onde vê pontos que dificulta a apresentação da proposta. Inconteste que, se vencesse a disputa, para o evento a Gaby transmitiria segurança estrutural, artística e jurídica. Porém, toda empresa com estrutura que atenda o edital poderá participar. Antecipar uma vencedora do certame – como desnecessariamente faz Jair Júnior – tenta atacar não apenas a empresa participante, mas os gestores públicos e o próprio evento.

A quem interessa isso?

A Lages provavelmente não.

Penso!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *