Geral

Gaeco cumpre mandado na Câmara

INVESTIGAÇÃO APURA DENÚNCIA DE FUNCIONÁRIO FANTASMA

Gaeco cumpriu oito mandados de busca e apreensão para apurar a existência de um possível funcionário fantasma no serviço público municipal de Lages.

INQUÉRITO NO MP

Cumprimento de tais mandados instrui um inquérito aberto na 5.ª Promotoria de Justiça de Lages e do próprio Gaeco. As investigações ocorrem a partir de informações da possível prática de crimes de peculato e falsidade ideológica e atos de improbidade administrativa praticados por servidor público e vereador de Lages.

PRÁTICA REITERADA

De acordo com o apurado, o vereador do MDB, que também é servidor efetivo do município, estaria recebendo salários sem cumprir a carga horária. “Só apareceria na repartição pública para preencher a folha ponto, que é certificada pelos servidores responsáveis”.

SIGNIFICADO DISSO

Durante a quarta-feira, 02, houve quem visualizasse complicações ao vereador David Moro, que é alvo dessa investigação. Porém, tal situação em nada afeta a conclusão do mandato que atualmente exerce. Não ocorre em tempo hábil qualquer medida que o retire da função. Da mesma forma, a referida investigação não é suficiente para impedir sua diplomação e posse no próximo mandato, até porque, nesse caso, ele não responde um processo judicial, mas somente uma investigação do MP/Gaeco. Depois de instruída tal investigação (se houver fundamento) ela será apresentada ao Judiciário quando, a partir disso, ele passaria a responder o processo. Nada que se resolva em curto espaço de tempo que impeça o início do novo mandato.

Moro é um dos eleitos na atual legislatura e obteve êxito na reeleição, ocupando a segunda vaga do MDB

REPERCUSSÃO NA CÂMARA

Vereadores Lucas Neves (PSL), Jair Júnior (Podemos) e Samuel Ramos (DEM) foram para as redes sociais, tão logo souberam da ação do Gaeco, pedir que a presidência da Câmara se manifestasse sobre a operação. A partir disso, a direção do legislativo, através do advogado Edson Medeiros, expediu nota, relatando o fato, embora sem citar o nome do vereador alvo do mandado de busca e apreensão.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *