Geral

Grito de socorro na UPA de Lages

PROFISSIONAIS DA SAÚDE COBRAM PROVIDÊNCIAS PARA PODER ATENDER MELHOR A POPULAÇÃO. SITUAÇÃO NA ESTRUTURA É DE UM QUASE CAOS

Na segunda-feira à tarde, paciente com diagnóstico positivo para a Covid-19 em exame de laboratório, foi à UPA em busca de atendimento médico, já que na UBS as consultas são agendadas somente de manhã. A atendente recepcionou os documentos do paciente e foi informada do diagnóstico positivo para Covid-19. Indagada se deveria ficar misturado a outras 60 pessoas que ali estavam (alguns pacientes e outros acompanhantes), informou que o protocolo era aquele. E se tivesse insatisfeito fosse reclamar com o prefeito.

REALIDADE DOS PROFISSIONAIS

A resposta da atendente de ir ‘reclamar com o prefeito’ evidencia que os profissionais que ali atuam não têm mais argumentos e/ou informações sobre a realidade que eles também não concordam. Empilhar gente com Covid-19, outras doenças e até crianças em um mesmo ambiente é o cenário claro de caos no setor de saúde. E porque querem evidenciar que não são a causa dessa situação – e clamar por providências – os profissionais da UPA lançaram mão de faixas e cartazes em um grito de socorro.

O pedido de socorro dos servidores da UPA. O pedido de valorização, inclusive insalubridade. Até porque, lidar com gente doente, inclusive com diagnóstico de doenças como Covid-19, se isso não for atuar em um ambiente insalubre, é o quê?

Servidores falam em necessidade de melhores condições de trabalho durante o protesto da manhã de sexta-feira, 24

Fotos: Daniel Silveira – Notícias Online

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *