Geral

Impasse sobre repasse a hospital de Anita

HOSPITAL FREI ROGÉRIO PEDE AUMENTO À PREFEITURA PARA MANTER ATENDIMENTO DE URGÊNCIA. MAS O PREFEITO DIZ NÃO

Final de ano com um impasse na prestação de serviços de urgência e emergência no Hospital Frei Rogério de Anita Garibaldi a ter desdobramento no começo do ano. Ocorre que a instituição mantém convênio com a prefeitura do município, através do qual executa tais serviços aos munícipes com valores até este mês de dezembro de R$ 80.000,00 mensalmente (R$ 60 mil ao pagamento de plantão médico e R$ 20 mil ao custeio do hospital).

OCORRE QUE…

Com esses R$ 60.000,00 para custeio do plantão médico, o hospital Frei Rogério paga R$ 83,00 a hora plantão ao profissional médico. Entretanto, a instituição não consegue mais médicos nesse valor. Campo Belo do Sul, por exemplo, paga R$ 120,00 a hora plantão. Daí a necessidade do aumento desses R$ 60 mil para R$ 72 mil. E aí reside o impasse. O prefeito João Cidinei declara que, como é recurso próprio, não há como aumentar o valor. A prefeitura também informa que desde 2017 já repassou R$ 3.036.496,80 para ‘ajudar o hospital’.

‘NÃO É AJUDA’

Um dos integrantes da entidade mantenedora do hospital Frei Rogério, Zezo Matos, explica que a prefeitura de Anita Garibaldi não ‘ajuda’ quando repassa os valores mensais. “A prefeitura está comprando um serviço porque, se o hospital não prestasse o atendimento, o município teria que se estruturar para manter o atendimento de urgência”, relata. Ele observa que a prefeitura mantém só um médico na UBS, o que acabou aumentando a demanda de atendimento no hospital.

O serviço de urgência nos municípios é atribuição das prefeituras. Algumas compram o serviço a ser prestação por instituições como é o caso de Lages (com convênio do hospital Nossa Senhora dos Prazeres), Otacílio Costa (que paga o hospital Santa Clara) e Anita Garibaldi (na parceria com o hospital Frei Rogério).

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.