Geral

Jair Júnior e o cavalo encilhado

VEREADOR DO PODEMOS SEGUE COMO UM DOS POUCOS NOMES EXPOSTOS À SUCESSÃO EM LAGES

Ao encontrarmos o vereador Jair Júnior na Câmara e no estádio, ponderamos se ele se recolheu da ideia de concorrer a prefeito ano que vem:

“Eu me recolhi um pouco, porque à medida que você se posiciona acaba se expondo e sofrendo também desgaste. Seguimos firmes na construção de um projeto partidário que viabilize a candidatura. Ninguém pode ser candidato de si mesmo. Mas de um projeto conjunto”.

ELE DIZ MAIS

Na visão de Jair Júnior – é a mesma que a gente tem – o processo eleitoral do ano que vem está absolutamente aberto em Lages. Inclusive em um cenário com Carmen Zanotto vindo disputar a eleição (governador poderá querê-la no páreo aqui), com Elizeu Matos também concorrendo, os votos de ambos se dividem, tornando o embate ainda mais parelho.

FATOR COLOMBO

Embora um ou outro veja que o ex-governador Colombo poderia ser instado a disputar a prefeitura de Lages, essa possibilidade é vista como algo fora de contexto. “O Raimundo vai para o PP, tentará emplacar no mandato ao Senado agora no lugar do Jorge Seif (sic!) ou disputar uma das vagas em 2026”. Ouvimos com Jair Júnior essa interpretação de alguém que frequenta mais a política estadual que a gente. “O Colombo a prefeito seria ruim para ele e horrível para a cidade”. É outra interpretação ouvida.

Por falar no ex-governador e Jair Júnior, o vereador reconhece que ‘os apaixonados por Colombo’ acentuaram o mal me quer contra ele depois do depoimento na CPI da Semasa. “Mas angariamos muitas adesões pela coragem, já que muita gente queria dizer o que dissemos”.

O CAVALO ENCILHADO

Embora não falte quem veja que Jair Júnior tem tempo para construir um projeto para ser prefeito de Lages – lá no futuro – ele visualiza que o cenário aberto do ano que vem é o cavalo encilhado. “Um projeto partidário bem construído torna a caminhada viável. Até porque teremos uma espécie de plebiscito onde o eleitor vai decidir se quer esse modelo que aí está, que nem precisa entrar em detalhes, ou algo novo, jovem, inovador, que pode realmente apresentar algo diferente para a cidade”. Filosofa o pretendente ao Paço.

E porque o assunto é cavalo encilhado, o vereador ganhou um potro, daqueles de excelência, na rifa promovida pelo cantor de fundamento Adriano Posai. Até fizemos uma proposta pelo potro, mas Jair Júnior não deve se desfazer do animal para vencer algumas quebradas da paróquia onde a peregrinação é mais complexa. Porém, tanto nas amarrações políticas quanto nas lidas no lombo do zaino só precisa se acautelar para não cair do cavalo!

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *