Geral

Jair Júnior, o lixo e a CPI

VEREADOR QUER REDUZIR VALOR DA TAXA DE LIXO. MAS O IDEAL É SABER QUAL O MONTANTE SERIA O CORRETO

Parafraseando aquele outro ditado, dá para dizer que o vereador Jair Júnior – pré-candidato a prefeito de Lages – está com o lixo e a caneta na mão. O referido vereador do Podemos está com um projeto onde propõe a redução do valor da taxa de coleta de lixo. O projeto é pertinente, mas deveria ser feito a partir de um levantamento que o próprio Jair Júnior tem a tarefa de ajudar tornar público.

OCORRE QUE…

Temos a CPI da Semasa em andamento. A comissão apura de forma pertinente informações, dados e possíveis irregularidades envolvendo contratos da Semasa com a empresa Serrana Engenharia. Daí que nessa apuração da CPI, provavelmente vai se chegar à realidade de valores que se arrecada e que se gasta com o serviço de coleta de lixo. E em cima desse valor claro, absoluto e incontestável seria possível rever a taxa paga pelo cidadão.

EXEMPLIFICANDO

Se hoje a Semasa arrecada, via taxa de coleta de lixo, 100 dinheiros e gasta 70 dinheiros para custear os serviços, essa sobra de 30 dinheiros não tem razão de existir. Isso porque a característica da taxa no universo da tributação é exclusivamente remunerar pelo serviço prestado, sem necessidade de sobra.

SIGNIFICA QUE…

Ao final da CPI, informando o quanto se arrecada e o valor que se gasta com serviços de coleta de lixo, o projeto de Jair Júnior não encontraria razão de resistência pelos demais vereadores da base. Estará se aplicando apenas o que é justo, ou seja, fazer o cidadão pagar apenas o que é gasto para a coleta de lixo.

Jair Júnior, que pilota a CPI da Semasa como relator, terá acesso a valores reais de arrecadação e gastos com a taxa de lixo. Com números nas mãos poderá propor a redução da referida taxa, deixando seus pares no legislativo sem opção, exceto a concordância

ALIÁS

A premissa da taxa de lixo remunerar o serviço deveria ser a mesma em relação a outras que são cobradas do lageano como a Cosip (iluminação pública) e a própria taxa de esgoto.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *