Geral

Lages amplia vacina às comorbidades

SECRETÁRIO DA SAÚDE, CLAITON CAMARGO, CONFIRMOU A VACINAÇÃO PARA OUTROS POSSUIDORES DE COMORBIDADES

Pouco depois das 10 da manhã desta quinta-feira, 06, secretário da Saúde de Lages, Claiton Camargo de Souza, conversava com o colega Adilson Oliveira no Clube Comunidade da Rádio Clube FM 98,3. Em primeira mão, como ele mesmo apontou, o secretário antecipou a informação do avanço da vacinação a outras pessoas portadoras de comorbidades em Lages.

QUEM ACESSARÁ A VACINA

Pelo relatado pelo Secretário de Saúde, além dos portadores de Síndrome de Down (18 a 59 anos) e pessoas com doença renal crônica que fazem diálise (18 a 59 anos). Também se vacinarão a partir da sexta-feira, 07 de maio, aqueles com 18 a 59 anos nas seguintes situações:

Transplantados de órgão sólido ou de medula óssea

Pessoas com deficiência permanente cadastradas no BPC

Gestantes puérperas com comorbidades (maiores de 18 anos)

Com comorbidades e deficiência permanente de 55 a 59 anos.

O secretário Claiton Camargo observou que o caminho ideal para acessar a vacinação é o cadastramento prévio no portal da prefeitura de Lages. E quem buscar a vacina direto (no Conta Dinheiro ou Jonas Minosso) precisa comprovar documentalmente a condição de portador de comorbidade de acordo com aquilo previsto na portaria que disciplina o atendimento de tais pessoas.

INFORMAÇÃO SOBRE COMPROVAÇÃO


“Para a comprovação da condição de risco, as pessoas com comorbidades podem apresentar qualquer comprovante que demonstre que ela pertence a um dos grupos de risco como exames, receitas, relatórios e prescrições médicas. Os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde também podem ser utilizados”, explica a gerente de imunização da Dive, Arieli Fialho.

Compartilhe

2 comentários para: “Lages amplia vacina às comorbidades”

  1. Pois é, né, Edson! Mas alguém está mentindo nessa questão. Levei minha mãe, que está às vésperas de completar 60 anos, na Unidade de Saúde do Bairro Popular para pegar uma declaração de que possui comorbidade. Chegando lá, a enfermeira disse que a declaração somente poderia ser fornecida após passar pelo médico. Uma simples declaração precisa de médico? Óbvio que não. Declaração não é ato privativo de médico. Ademais, todo o histórico médico da minha mãe está na própria Unidade de Saúde, e uma simples consulta seria suficiente para emitir uma tal declaração. Vale dizer, que ela tem todas as receitas que comprovam uma das comorbidades existentes no cadastro prévio (hipertensão) e, segundo o secretário seria suficiente para fazer a vacina, mas parece não ser a verdade, pois seria necessário tal declaração. Então, que está mentindo (porque não há outro adjetivo para isso): o secretário ou a enfermeira da Unidade de Saúde.

  2. Sugiro e solicito ao blog a gentileza de que que busque e divulgue informações sobre o cadastramento da prefeitura para a vacinação comorbidades. Porque o cadastramento não esclarecedor, e, ao ligar para a secretaria da saúde buscando informações, fui atendido com grosseria pela atendente, que me respondeu que eu deveria ouvir rádio e acompanhar as notícias pelas redes sociais. No cadastramento, pedem o número de telefone para contato, e, ao perguntar se de alguma forma a secretaria faria o contato, novamente, com grosseria, a atendente me responde que “não tem como ligar pra todo mundo né…” Então, para que solicitam o número do telefone? E, para que serve, qual a finalidade do cadastramento prévio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *