Geral

Dois meses sem pouso por instrumento

Relampeou para os lados da Vacaria ou as nuvens acinzentaram os céus e o avião da Azul não pousa nas terras de Lages. E está completando dois meses dessa situação incômoda que reforça a insegurança sobre a adesão ou não do voo que opera entre Lages e Campinas.

CAUSA

O problema era um equipamento chamado barômetro que foi levado a São Paulo, calibrado, recuperado e devolvido ao Aeroporto Federal. Porém, depois do dito aparelho retornar, ficou pendente uma vistoria certificadora in loco de técnicos do Cindacta, a partir de Curitiba. E enquanto os técnicos não aparecem, há essa instabilidade no voo regular da Azul.

NÃO ERA DA PREFEITURA

FICAR GRUDADA NISSO?

Abordamos o assunto com o prefeito Ceron por causa do prejuízo que representa essa inconstância do voo por causa de não haver operacionalização por instrumento. “O que estava ao alcance do município foi feito. A pendência é uma vistoria do Cindacta“. Indagado se não era de deixar uma pessoa da prefeitura 24 horas por dia insistindo nessa questão até tê-la por resolvida, Ceron aponta que não se trata de uma providência que dependa do município. “Estamos reféns dessa burocracia”.

Desde o começo de março os pousos no aeroporto de Lages só ocorrem no visual, porque o barômetro ali instalado depende de uma vistoria técnica do Cindacta para ser homologado e voltar a orientar aeronaves como da azul que opera no voo até Campinas/SP

QUE INSTRUMENTO É ESSE?

Barômetro é o equipamento que serve para medir a pressão atmosférica. Através da pressão atmosférica, podemos saber informações como a tendência do tempo, ou seja, uma pequena previsão do tempo informando se teremos chuva, ou sol, dentro de um curto espaço de tempo.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *