Geral

Lages em situação de emergência

DECRETO ASSINADO REFORÇA AÇÕES PARA RESTABELECER A REGULARIDADE DEPOIS DOS QUASE 200 MILÍMETROS DE CHUVA ENTRE SEGUNDA E QUARTA-FEIRA

“É de dar febre ao verificar um trabalho feito e agora afetado por uma sequência de chuva que causou estragos aqui na cidade e maneira muito intensa também no interior”. Chateação do prefeito Ceron na tarde da quarta-feira ao retornar de uma verificação in loco sobre as áreas mais afetadas pelas chuvas entre segunda e quarta-feira. “Vamos acelerar ações emergenciais porque até mesmo regiões que já tinham recebido o trabalho de manutenção vão precisar que iniciemos tudo de novo”.

PROVIDÊNCIA

Junto com a chegada do sol, depois da chuva dos últimos dias, chegaram também para uma reunião emergencial com o prefeito Ceron os integrantes de sua equipe. Da conversa, a partir da coleta de informações da Defesa Civil e secretarias como Agricultura, Obras e Meio Ambiente, foi decidido pelo decreto de emergência. Tal situação permite celeridade em algumas providências para, segundo Ceron, atender prioritariamente as pessoas.

Jurandi Agostini, João Alberto e Delfes com dados sofre os impactos da chuva no cotidiano lageano para embasar a decretação de situação de emergência

VOLUME DE DOIS MESES DE MAIO

NO INTERVALO DE 72 HORAS

Pelos dados oficiais de medição da Defesa Civil – informados via boletim do Paço – entre a segunda-feira e a quarta (2, 3 e 4 de maio) – choveu em Lages um quantitativo medido de 191,2 milímetros de água. A média histórica dos 31 dias do mês de maio indica acumulado de 106 milímetros. Significa que em três dias se registrou o equivalente a quase dois meses de chuva no mês de maio. Daí a situação de anormalidade.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *