Geral

Lages perde Nevio Fernandes

MORRE O HOMEM QUE DEDICOU A VIDA A ESCREVER SOBRE A VIDA DA CIDADE E DAQUELES QUE ESCOLHERAM AQUI PARA VIVER

Do nada uma coceira boba nos olhos e um suspirar mais profundo ao lembrar dessa figura sem igual que cruzou pelo caminho da gente nessa trajetória nas terras de Lages. Gente para, de repente, dar-nos uns ameaços de choro é porque tem significado na nossa vivência. Nevio Fernandes é daquela lista restrita de pessoas que a gente quer encontrar no céu (se conseguirmos chegar lá, é claro). Transformou o jornalismo numa mescla de missão e paixão. E exerceu a atividade na excelência, dificuldade e fidelidade.

Tinha excentricidades, manias, rotinas que chegavam a ser engraçadas. Contava os passos entre a redação e a diagramação. Suas tarefas ele enumerava. De um cafezinho ao editorial, tudo recebia uma sequência. Não jogava na loteria. Mas guardava o dinheiro que jogaria. Ao final de um período, estava lá com um acumulado, como se fosse um prêmio. Pausa para mais uma suspirada!

Sim, ele sabia a quantidade de passos do Correio Lageano até a residência no Copacabana. Lembrava de fatos de cada prefeito de Lages desde o século passado. Das visitas mais ilustres à cidade. Inaugurações, rivalidades. Contava cada história, como se fosse um arquivo ambulante. Com Nevio Fernandes convivemos na redação entre 1996 e 2001. Eu, Peterson Guerreiro, Jaqueline Reche, Celso Aurélio, sob a liderança de Paulo Baggio, seu Baggio. Depois vieram Olivete Salmória, Onéris Lopes, Chico de Assis. Tempos de ouro, de aprendizado. Belos tempos!

Um retrato do jornalista, escritor, economista, lageanista, que nos deixou na manhã desta quinta-feira, 22 de julho. Nevio Fernandes, sinônimo de jornalismo em Lages na Serra Catarinense!

REDAÇÃO NO CÉU

Pensando naquele clima de redação no final do século passado, com seu Baggio adentrando à sala para pedir que determinado assunto fosse para a capa do Correio Lageano no dia seguinte ao seu Nevio (a gente os tratava com seu porque ambos tinham alguns meses de vida a mais). Daí eles viam a gente com a lista de pauta e o Chico de Assis no canto se esforçando com o telefone para tentar fechar o assunto e seu Baggio o escalava para desembrulhar a matéria:

– Mas dá uma esticada no texto. Não precisa ser muito econômico nas palavras, Coso!

Era o recado de Seu Baggio para fazer uma capa e depois um texto interno mais explicativo. Hoje, lá estarão Seu Baggio e Chico de Assis recepcionando seu Névio na redação do Correio do Céu. Olivete Salmória, Onéris Lopes, Celso Aurélio e este bloguista, contemporâneos do trio na redação do Correio Lageano, todos, precisamos nos cuidar, porque tem vaga na redação do ‘Além’. Mas embora a gente tenha saudades, não tem pressa para se enturmar com os colegas das antigas!

Por falar em colegas, registro de um Prêmio Empreendedor do então Jornal Correio Lageano com seu Nevio Fernandes e os colegas da época. Tudo fica na memória e na história desses tempos que passam. Vai com Deus, velhinho querido!

Compartilhe

4 comentários para: “Lages perde Nevio Fernandes”

  1. Com fino trato e respeitoso com as pessoas o Sr. Névio sempre dava a atenção com seu olhar centrado e fala mansa.

    Como grande conhecedor de seu campo de atuação profissional destacou-se como exemplo de retidão e dedicação.

    Meus sentimentos aos familiares e amigos!

  2. Conheci Seu Névio em 1972 quando Ele ‘cobrio’ para o Correio Lageano a inauguração da Agência da XEROX DO BRASIL na Rua Presidente Nereu Ramos, entre o Banespa é o Marajoara.
    Não posso dizer que nos tornamos amigos, mas ficamos próximos, num convívio respeitoso, pois Ele era muito contido em manifestações.
    Em 1975 saí de Lages e só voltei vê-lo em 2015, quando tentei sem sucesso emplacar uma matéria sobre O SUL É O MEU PAIS. Apenas o vi, não conversamos é nem sei se ainda trabalhava ou estava visitando o Jornal.
    Quê DEUS O tenho em bom lugar.

  3. Nos deixou de maneira rápida, como se quisesse não dar mais trabalho aos 87 anos de idade. Nos deixou orfãos, deixou o seu Palmeiras orfão. Graças a Deus foi bem cuidado e está descansando ao lada de sua mão no histórico Cruz das Almas. Parece que de manhã irá entrar pela porta e ir ao computador escrever mais um texto, vasculhar suas gavetas atrás de documentos foi um tarefa difícil, era um acumulador compulsivo, convites, notas de compras e convite encheriam caixas a fim. Os céus ganharam um redator de estirpe, a sua querida Lages não o valorizou a contento, também no trabalho não teve o devido merecimento e apreço. Ainda choramos a partida. Vá em paz e zele por nós, Nos encontraremos algum dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *