Geral

Lages prorroga ou não medidas?

DECISÃO SERÁ ANUNCIADA NESTA SEGUNDA-FEIRA, VISTO QUE AS MEDIDAS RESTRITIVAS TERMINAM ÀS 24 HORAS DESTE DIA 15

Se depender, não do prefeito Ceron, mas dos números de contaminação e falta de leitos de UTI, Lages viverá mais uma semana de medidas restritivas. Desde que anunciadas e colocadas em prática na terça-feira, 09, as medidas (uma espécie de lockdown parcial) contribuíram para reduzir aglomerações. Entretanto, em termos de dados, esses ainda não surtiram efeitos esperados. Há aumento no numero de mortes, contaminados e o contraste da falta de leitos em UTI.

PRÓS E CONTRA

Há certa resistência de grupos em relação às restrições. Alguns protestam em redes sociais, emitem comentários severos contra o prefeito e chegam a taxar como bobagem as restrições. Entendem que é apenas uma cortina de fumaça que não inibe o problema. Aqueles favoráveis às medidas, preferem o silêncio. Até para não entrar em debate com os contrários. Mais ou menos como o tratamento precoce, onde aqueles que consideram a medida ineficaz preferem o silêncio, para não gerar uma discussão que não chega a lugar nenhum com os defensores.

DE QUALQUER FORMA

Nesta segunda-feira, 15, conforme se comprometera com dirigentes de entidades (Acil e CDL), o prefeito Ceron se reúne com os representantes do setor produtivo. Na reunião com o secretário de Estado da Saúde, André Mota, tais dirigentes já se anteciparam pedindo pela não prorrogação de fechamento. “Os empresários não estão conseguindo pagar essa conta”. É o argumento citado. Depois da reunião pela manhã, Ceron convoca o Gabinete Emergencial da Covid-19 para diálogo à tarde.

O QUE TENDE ACONTECER?

Naturalmente que não existe uma decisão. E essa será tomada a partir dos diálogos da segunda-feira, 15. Entretanto, considerando o cenário crítico ao extremo (que não se verifica apenas em Lages), com falta de leitos de UTI como um dos maiores agravantes, há tendência (e a gente escreve tendência e não algo consolidado) do decreto restritivo se estender até a sexta-feira, dia 19. Depois vem a restrição estadual para o sábado e domingo e, na segunda-feira, 22, as coisas voltariam ‘ao normal’.

Ceron, Carmen Zanotto, empresário Jefferson de Oliveira que coordena o Fórum das Entidades, secretário André Mota e o adjunto da Casa Civil, Juliano Chiodelli, no diálogo com dirigentes empresariais de Lages

Aqui representantes de entidades (não necessariamente empresários) e empresários durante a reunião com o Secretário de Estado da Saúde que estava na Acil

O QUE DISSE O SECRETÁRIO DE ESTADO

DA SAÚDE AOS EMPRESÁRIOS DE LAGES

“Estamos tentando entender onde está o equilíbrio entre a saúde e a economia. Se nós não tivermos uma consciência coletiva da gravidade será difícil combater o vírus. Nós pensamos nisso todos os dias. Precisamos da ajuda de todos os senhores, as regras precisam ser cumpridas e para serem cumpridas precisam ser pactuadas. E todos devem fiscalizar aqueles que não cumprem as regras”.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *