Geral

Ficção ou profecia? Lages chega ao ano 2040

Lages, 28 de dezembro de 2039

Cidade de Lages comemora o fechamento da década com conquistas. Retoma condição de uma das economias mais fortes de Santa Catarina. Ficamos atrás apenas de Joinville, Itajaí, Blumenau e Florianópolis nos índices de arrecadação e crescimento. A maior cidade do interior do Estado adentrará o ano aguardando que o Censo 2040 confirme estimativa ultrapassando 300.000 habitantes espalhados nos 147 bairros.

O QUE PENSAM LIDERANÇAS?

Gestores e líderes políticos que fazem parte da história recente da cidade opinam sobre esse novo momento de Lages.

Ex-governador Raimundo Colombo diz que nunca teve dúvida que Lages ocuparia o espaço de destaque que possui atualmente. “É o resultado daquilo que plantamos no final do século passado e na década de 2010”

Governadora de Santa Catarina, Carmen Zanotto, cita que é importante destacar o crescimento econômico ocorrido sem se descuidar de questões sociais e humanas. “Veja que a saúde recebeu muitos investimentos e permitiu avanços importantes”.

De sua propriedade no Cerrito onde reside, o ex-prefeito Antônio Ceron fala num tom emocionado. “Tinha certeza que aquilo que fizemos conduziria a cidade ao crescimento. E ainda teve quem discordasse que tivéssemos um segundo mandato, veja o resultado”.

Espirituoso, o Senador Fernando Coruja lembra que Lages nasceu sobre o signo do sucesso, mas não deixa de lembrar: ‘O Raimundo poderia ter ajudado mais. Poderíamos ser a primeira do Estado em desenvolvimento’.

Prefeito Marcius Machado não tem dúvida que é mais fácil administrar uma cidade quando os índices econômicos e sociais contribuem. “Ajudamos nessa construção desde os tempos de deputado com ajuda do meu irmão Carlos Moisés, governador na época”.

Deputado federal Thiago Oliveira credita o sucesso de Lages também ao trabalho do MDB e profetiza: “Vamos chegar à metade do século com o MDB de volta à prefeitura, pode escrever isso”.

Presidente do Inter, Cristopher Nunes, destaca crescimento com a ascensão do Clube. “Ver 50 mil pessoas no Monumental de Ramos assistir nosso jogo contra o Boca não tem preço. Quem imaginaria lá em 2019 que disputaríamos a Libertadores! Perdemos aos 49 do segundo tempo, mas esse jogo vai ficar na minha memória. Lembrei até de uma partida em 2019 contra um tal Barroso”.

Ex-prefeito Monarim é consciente: “A gente sabe que é o resultado do nosso trabalho que deu esse avanço à cidade. Mas vamos dividir com os outros prefeitos e o povo o mérito, até porque o PSDB tem essa humildade de compartilhar conquistas”.

Secretário Antônio Arruda lembra que a cidade estaria ainda melhor “não fosse aquela bomba do LagesPrevi que tivemos que administrar desde os tempos do Renatinho e depois com o Ceron”.

Saudosista, Jurandi Agostini lembra quando Lages não tinha 100% de rede de esgoto. “Fizemos e faríamos de novo, meu filho”. Ele diz que a chegada de rede de esgoto no interior de Lages havia sido planejado desde 2019. “O Tajabeco sempre me cobrava isso”.

IMPORTANTE 

Nem precisa falar em ficção nesse post, certo? E se algum dos retratados se sentir ofendido, basta fazer contato que a gente ‘esconde’ a foto. Aliás, colocamos três dos personagens citados nos tempos que eram mais novos…

Raimundo Colombo, seminarista no final da década de 1970, antes de ser convidado por Jorge Bornhausen para ingressar na carreira política

Antônio Ceron antes de se mudar para Lages. Por causa do sotaque carregado em Tangará, alguns o chamavam de Gringo

Governadora Carmen Zanotto, num registro quando era ainda enfermeira no Hospital Tereza Ramos de Lages

P. S.

As fotos foram alteradas através do aplicativo FaceApp

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *