Geral

Linha Covid-19: Lages corrige e atende mais

Na quarta-feira, 18, registrou-se uma inconstância no atendimento retomo implementado pela Secretaria da Saúde de Lages. Os telefones divulgados 3251 7601 e 3251 7602 para os contatos de pessoas com suspeita de coronavírus davam numa gravação e o paciente ficava aguardando até a ligação cair. Numa das chamadas de verificação feita, aguardou-se 3 minutos e 30 segundo e, na sequência, a ligação caiu. Para uma pessoa angustiada diante da suspeita, tal situação seria insustentável.

EXPLICAÇÃO

De imediato veio a explicação que o sistema estava assim – com queda de ligações – devido a grande demanda buscando orientações, informações e esclarecimentos. Pelos dados, naquela quarta-feira, 18, foram 2.198 telefonemas aos dois números, significando 3 ligações a cada dois minutos em média, com atendimento 24 horas.

E PROVIDÊNCIA

Antecipando-se para uma possível elevação da procura por informações, a Secretaria de Saúde, expandiu o número de trabalhadores nesta linha de frente no combate ao novo coronavírus, causador do Covid-19. Segundo o boletim informativo, o serviço de amparo ao cidadão por telefone, oferecido pela UPA no propósito de conter a aproximação física e, simultaneamente, aumentou de 14 para 40 a sua capacidade humana de suporte. Ao todo, 26 servidores a mais envolvidos diretamente no processo das ligações, em escalas de seis horas cumpridas por 11 pessoas, sendo que uma delas está na função de registros. Um alto volume com assistência 24 horas por dia, sete dias por semana.

QUEM SÃO?

São profissionais do quadro municipal, principalmente da Secretaria da Saúde, além de outros setores da prefeitura que se disponibilizaram para esta atividade, como Assistência Social e Defesa Civil. Parte desta equipe esteve em capacitação na manhã desta quinta-feira (19 de março) sobre assuntos de classificação de risco, fluxo e filtro da Covid-19, e a primeira parte foi treinada nesta quarta.

QUARTA FOI INSUFICIENTE MESMO

Diretor de Gestão da Informação da Secretaria da Saúde, Claiton Camargo de Souza, aponta que:

“A quantidade de atendentes não foi suficiente na quarta-feira, pois existem casos de pessoas que precisam de mais tempo na linha para esclarecer suas dúvidas. Têm atendimentos que são resolvidos em dois, três minutos, e há outros que necessitam de mais de 20 minutos. Paralelamente ao repasse das informações técnicas, os servidores oferecem apoio emocional em diversos casos, pois há pessoas nervosas; assustadas; inseguras, e receptoras de correntes com dados, áudios e prints manipulados e inverídicos. Tranquilizar a comunidade também está na lista das nossas funções”.

De acordo com a prefeitura, o número de profissionais na retaguarda do serviço telefônico, para que as pessoas não vão à UPA aumentou. Eram 14 e agora são 40 fazendo esse revezamento

AINDA

A demanda de ligações é significativa porque, considerando a divulgação dada dos números, pela Rádio Clube FM, por exemplo, muita gente de outros municípios da Serra também recorre às orientações.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *