Geral

Mais de uma morte por dia em Lages

É A MÉDIA DO MÊS DE FEVEREIRO EM RELAÇÃO À COVID-19. DE CADA TRÊS ÓBITOS, UM NÃO APRESENTAVA DOENÇA PRÉ-EXISTENTE

Se janeiro, embora lamentáveis as perdas, ocorreram 9 mortes em decorrência das complicações da Covid-19, quase a totalidade das perdas em fevereiro é de pacientes que contraíram a doença no mês passada e acabaram morrendo na primeira quinzena deste mês.

MÉDIA SUPERIOR A UMA MORTE POR DIA

Em fevereiro foram 15 mortes no intervalo de 12 dias (entre os dias 02 e 14). Esse dado reforça o alerta para a mantença de cautelas porque, embora com menor letalidade, a Covid-19 segue matando. E não são apenas as pessoas que apresentam comorbidades que estão perdendo a luta para a pandemia. Das 15 mortes, cinco vítimas fatais aparecem nos relatórios oficiais como não portadoras de doenças pré-existentes.

Foram oito homens e sete mulheres falecidas na primeira quinzena de fevereiro pelas complicações decorrentes da Covid-19 em Lages. O último registro da perda de vidas remete ao 14 de fevereiro, segunda-feira, quando uma mulher com apenas 44 anos acabou morrendo em decorrência da Covid-19.

Para tentar ampliar a adesão à vacina (especialmente de crianças), secretário Claiton Camargo de Souza (Saúde) anunciou que as estruturas de imunização situadas na Central do Tito Bianchini, passam a atender 12 horas por dia, sem intervalo (8 às 20 horas).

PORQUE…

Embora tenhamos essas 15 perdas para a Covid-19 na quinzena inicial de fevereiro, não fosse a vacinação, o número de óbitos seria bem maior, considerando que Lages chegou a quase 3.500 casos de pessoas com a doença ativa no final de janeiro. Daí que a aposta na imunização segue intensificada em Lages.

Secretário Claiton Camargo entende que a adesão à vacinação infantil (faixa entre 5 e menos de 12 anos) poderia ser maior. Daí o horário mais dilatado. E ele apela:

“Nós consideramos um número baixo, por isso, é importante que pais e responsáveis se conscientizem e levem as crianças para receberem as doses imunizantes”.

SOBRE O AUMENTO DE INTERNAÇÕES DE CRIANÇAS

As informações abaixo a gente coloca entre aspas porque são oficiais da Secretaria de Estado da Saúde:

“A taxa de ocupação de leitos de UTI Pediátrico para tratamento de Covid-19 cresceu 433% na primeira quinzena de fevereiro. Os dados foram levantados pela Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. No dia 1º de fevereiro, apenas três leitos de UTI pediátrico estavam ocupadas com crianças em tratamento para Covid-19, o que representava uma taxa de ocupação de 16%. Já no dia 15 de fevereiro, esse número passou para 16 leitos, o que equivale a uma taxa de 73%. Foi identificado um aumento de 1.094% nas internações por Covid-19 de menores de 15 anos, passando de 16 registros no período de 28 de novembro de 2021 até 1º de janeiro de 2022 para 191 registros entre 02 de janeiro e 05 de fevereiro de 2022″.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *