Geral

Marcius ataca Bolsonaro por via indireta

AO CRITICAR O GOVERNO MOISÉS, O DEPUTADO RECLAMA DOS 11 AUMENTOS DOS COMBUSTÍVEIS NESTE ANO, QUE É RESPONSABILIDADE DO FUTURO COLEGA DE PL, JAIR BOLSONARO

“Só neste ano tivemos 11 aumentos na gasolina e no diesel, trazendo uma cadeia nefasta, destruidora, e que vem destruindo com o novo povo (…). Só neste ano, 11 aumentos, acumulando – pasmem! – 73% de aumento”.

“De um lado nós temos a Petrobrás, que tem que ter intervenção na Petrobrás… Ah! Fala pro liberal em intervenção e ele se arrepia todo, mas não se arrepia quando o cidadão está pagando em muitos lugares mais de R$ 7,00 o litro da gasolina”.

O discurso de Marcius procura atingir o governo Moisés devido ao ICMS cobrado nos combustíveis (Santa Catarina cobra 25% enquanto outros Estados como o Rio Grande do Sul cobram 30% e até 34%). Mas a fala acaba se direcionando ao próprio possível futuro colega de partido do deputado lageano, no caso o Presidente Bolsonaro, visto que os 11 aumentos neste ano que Marcius se refere, constituem-se ‘obras’ do Governo Federal

MARCIUS E BOLSONARO

O Presidente da República praticamente sacramentou a decisão de se filiar ao PL, sigla de Marcius e do Senador Jorginho Melo. Nem isso atenuou o discurso do parlamentar lageano na Alesc, contrariado (nesse caso com razão), com a escalada de preços dos combustíveis. Marcius cita o congelamento da atualização do ICMS anunciado pelo Governo do Estado por 90 dias, mas aponta que o governador Moisés deveria é reduzir o percentual do imposto estadual (de 25% como citamos) sobre os combustíveis.

O discurso é mais político que técnico, visto que o governo de Moisés tem cada vez mais isolado o deputado lageano em relação a ações e decisões na Serra Catarinense, reduto de Marcius.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *