Geral

Mirem-se no pedido das mulheres de Lages

PAREM DE NOS MATAR!

O pedido acima é um apelo, um grito de socorro.

Não importam os índices em que a cidade e a região estão no tal ranking no feminicídio. Importa que são vidas, são pessoas, são famílias que são destruídas pelo gesto covarde daqueles que praticam a violência pela simples condição das vítimas serem mulheres (o que caracteriza o feminicídio).

O ATO EM LAGES

Foi bravo, corajoso o gesto da mãe de Ana Júlia, 19 anos, morta a tiros no dia 16 de junho num apartamento ali perto da Praça da Catedral. Foi solidária a adesão de outras mães, amigas, mulheres para reforçar exatamente essa sensação de insegurança. Porque gestos que vitimaram Ana Júlia, também tiraram a vida de Suelen, no dia 02 de junho, no bairro Habitação em Lages, ela com apenas 24 anos. Outra Ana, Ana Kemilli, também fora brutalmente assassinada em Campo Belo do Sul no mês de fevereiro. É preciso dar um basta. É preciso que as autoridades reforcem a atenção. As mulheres da Serra merecem esse respeito, essa segurança.

Caminhando e chorando

Seguindo a multidão…

Somos Suelen, Ana Júlia

Braços na faixa ou não!

CRONOLOGIA DO ASSASSINATO

O autor dos disparos que causaram a morte de Ana Júlia Floriano, 19 anos, saiu em disparada após praticar o crime. A Polícia Civil levantou a ficha do rapaz de 32 anos, com envolvimento em outros delitos na cidade. Desde às 13h10min que fora visto por uma câmera de monitoramento do prédio da prefeitura naquele 16 de junho, nunca mais a área de investigação da polícia obteve qualquer informação (que tenha exteriorizado) sobre o autor do crime. Não houve providência no sentido de divulgar a foto do ‘suspeito’ para reforçar as buscas e nem informações sobre cruzamento de dados (telefônicos e financeiros) para se chegar até o paradeiro. São quase 300 horas desde o crime. E até agora nada!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *